Lojas Renner anuncia lucro líquido de R$ 818 mi

  •  
Lojas Renner anuncia lucro líquido de R$ 818 mi (Foto: Pexels) Lojas Renner anuncia lucro líquido de R$ 818 mi

O EBITDA Total Ajustado da Lojas Renner chegou aos R$ 508,1 milhões no segundo trimestre 2020, com aumento de 16,6% ante o 2T19 e Margem de 94,2%. Este desempenho foi resultado, essencialmente, do crédito fiscal. Excluído este montante, o EBITDA Ajustado Total foi negativo em R$ 227,4 milhões, em função do menor resultado operacional de varejo, assim como da redução do Resultado de Produtos Financeiros.

O Resultado Financeiro Líquido foi positivo em R$ 493,6 milhões, basicamente, em razão dos juros sobre créditos tributários de R$553,3 milhões reconhecidos no período. Se excluído este valor, o resultado teria sido negativo em R$59,7 milhões no 2T20 versus R$ 53,6 milhões no 2T19, devido, principalmente, ao aumento na Variação Monetária negativa, em função de fluxos de pagamento de comércio exterior e realização do hedge cambial.

O Fluxo de Caixa Operacional foi beneficiado em R$ 1.288,8 milhões pela recuperação de créditos da ação do PIS e da Cofins. 

Em 30 de junho de 2020, o Endividamento Líquido da Companhia foi de R$1.116,3 milhões, apresentando aumento de 29,8% em relação à posição do mesmo período do ano anterior, devido, especialmente, à menor geração operacional de caixa no período.

Do total investido, no trimestre, 73,1% foram aplicados em Sistemas e Equipamentos de Tecnologia, 13,4% em Centros de Distribuição e 13,2% na abertura de Novas Lojas e Remodelações.

O Lucro Líquido totalizou R$818,1 milhões, no 2T20, com aumento de 254,6% ante o 2T19, em virtude da recuperação de crédito fiscal. Desconsiderando este valor, este resultado foi negativo em R$ 228,0 milhões e refletiu o menor EBITDA Total gerado no trimestre, assim como o crescimento das despesas com depreciações, consequência dos ativos fixos e investimentos realizados em períodos anteriores.

O 2T20 iniciou com todas as lojas da Companhia ainda temporariamente fechadas, em função dos desdobramentos da Covid-19, a partir de meados de março. No dia 24 de abril, iniciou-se o processo gradual de reabertura das lojas físicas, com evolução mensal no número de lojas reabertas e, com isso, ao final do trimestre 69,0% das unidades estavam operando. Assim, a performance das vendas foi impactada de forma significativa no período, com redução de 74,1% nas Vendas em Mesmas Lojas, mas apresentando melhora sequencial nos meses do trimestre e nos seguintes. Atualmente, o parque de lojas está todo aberto, o que tem favorecido também a continuada evolução na Receita Líquida dos meses subsequentes.

(Redação - Investimentos e Notícias)