Lucro líquido ajustado da Eneva totalizou R$ 268 mi no 4T19

  •  
Lucro líquido ajustado da Eneva totalizou R$ 268 mi no 4T19 (Foto: Pexels) Lucro líquido ajustado da Eneva totalizou R$ 268 mi no 4T19

O lucro líquido ajustado da Eneva totalizou R$ 268,5 milhões no quarto trimestre de 2019 (4T19), comparado aos R$ 70,7 milhões reportados no 4T18, impactado não apenas pelo crescimento do EBITDA, mas também pela melhora do resultado financeiro líquido e pela reversão de impairment constituído em anos anteriores relativo à Itaqui (rubrica “Outras receitas/despesas”). Os ativos imobilizado e intangível de Itaqui foram submetidos ao teste de recuperabilidade e, considerando a consistente melhora no seu desempenho operacional, fruto dos investimentos e melhoria de gestão implementados nos últimos anos, foi revertido o valor de R$ 127,1 milhões.

O EBITDA consolidado ajustado de forma a excluir eventos não-recorrentes totalizou R$ 464,0 milhões no 4T19. O crescimento de 49,2% em relação ao 4T18 resultou, principalmente, da performance do segmento de Upstream, com aumento da produção de gás natural (0,70 bcm no 4T19 vs 0,29 bcm no 4T18) em resposta ao maior despacho das termelétricas a gás (97% no 4T19 vs 43% no 4T18).

No 4T19, o fluxo de caixa operacional totalizou R$ 514,1 milhões. As necessidades de capital de giro somaram R$ 38,8 milhões.
A ENEVA encerrou o 4T19 com uma posição de caixa livre consolidada de R$ 1,8 bilhão, sem considerar o saldo em depósitos vinculados aos contratos de financiamento da Companhia, no montante de R$ 121,6 milhões.

O resultado financeiro líquido foi negativo em R$ 121,5 milhões no 4T19, versus um resultado negativo de R$ 150,7 milhões no 4T18.
No 4T19, o investimento consolidado totalizou R$ 416,6 milhões (versus R$ 94,9 milhões no 4T18), sendo aproximadamente 60% desse montante destinado às obras em andamento da UTE Parnaíba V e do projeto integrado Azulão-Jaguatirica.

Em 31 de dezembro de 2019, a dívida bruta consolidada (líquida do saldo de depósitos vinculados aos contratos de financiamento e custos de transação) totalizou R$ 5.658 milhões, aumento de 9,6% quando comparado ao final do 4T18. O custo médio efetivo2 da dívida no trimestre foi de 8,2% e o prazo médio de vencimento de 4,6 anos.

(Redação – Investimentos e Notícias)