Lucro líquido da BB Seguridade alcança R$ 882,7 mi no 1T20

  •  
Lucro líquido da BB Seguridade alcança R$ 882,7 mi no 1T20 (Foto: Pexels) Lucro líquido da BB Seguridade alcança R$ 882,7 mi no 1T20

Nos três primeiros meses de 2020, a BB Seguridade reportou lucro líquido de R$882,7 milhões, queda de 12,9% em relação ao mesmo período do ano passado. A redução do lucro líquido foi motivada pela queda do resultado financeiro, influenciada pela redução da taxa Selic, por perdas de marcação a mercado nos títulos pré-fixados longos e pelo descasamento temporal na atualização de ativos e passivos dos planos de previdência de benefício definido. Adicionalmente, a alienação da participação acionária no IRB Brasil RE, em julho de 2019, também contribuiu para a retração do lucro líquido, considerando que no 1T19 a receita proveniente desse investimento representou quase 5% do lucro líquido da Companhia.

Por outro lado, o resultado operacional combinado das empresas do conglomerado cresceu 19,6%, superando o intervalo de +7,0% a +13,0% do Guidance 2020, puxado principalmente pela redução da sinistralidade nas operações de seguro e pelo bom desempenho comercial no seguro rural, no seguro prestamista e na arrecadação em planos de previdência.

O volume total de prêmios emitidos de seguros, contribuições de previdência e arrecadação com títulos de capitalização alcançou R$13,3 bilhões no primeiro trimestre de 2020, com crescimento de 19,0% em relação ao mesmo período de 2019.

Cabe ressaltar que a dinâmica de crescimento persistiu até a primeira metade do mês de março, no entanto, logo após a decretação da pandemia da Covid-19, observou-se uma inversão de tendência, com desaceleração do faturamento na maioria das linhas de negócio.

Apesar dos impactos da pandemia na BB Seguridade terem sido limitados no primeiro trimestre do ano, o cenário de incerteza e de alta volatilidade gerado acarretou mudanças significativas nas premissas que embasaram as projeções divulgadas no Guidance 2020. Dessa forma, a Companhia optou por suspender seu guidance, retomando as projeções tão logo haja redução do nível de incerteza quanto aos impactos da pandemia na economia e as repercussões em seus negócios, o que lhe permitirá estimar de forma mais adequada suas métricas de resultado para o ano de 2020.

(Redação – Investimentos e Notícias)