Padrões internacionais significam benefícios para a economia

  •  
Profissionais do setor de ambiente construído devem preparar-se para as transformações e tendências exigidas pelo mercado em 2030 Foto: Divulgação Profissionais do setor de ambiente construído devem preparar-se para as transformações e tendências exigidas pelo mercado em 2030

Durante o evento Connected Smart Cities, no dia 4 de agosto em São Paulo, Daniel Cook, Diretor de Estratégia da RICS apresentou o relatório “Nosso Mundo em Transformação: Esteja preparado (Our Changing World: Let’s be ready)”, que traz exemplos de grandes iniciativas em cidades como Nova Iorque e Singapura, que se preparam para o futuro.

O relatório aborda como mudanças socioeconômicas globais exigirão novas habilidades, modelos de negócios e respostas para desenvolver tecnologias para os próximos 15 anos e revela que as cidades precisarão focar seus esforços na mensuração de performance sob uma mais ampla gama de indicadores como resiliência, inovações sociais, transparência e qualidade da infraestrutura. Os setores público e privado necessitarão trabalhar em maior sinergia de modo a colaborar em novas maneiras de como lidar com escassez de recursos, suporte a inovação e criar novas oportunidades.

Significantes mudanças na demografia, nível de urbanização e poder econômico impactarão em como e onde viver. Como o impacto total dessas mudanças é impossível de prever, a RICS, principal organização profissional dos setores de terras, propriedades e construção em âmbito global, tem o dever e a responsabilidade de preparar a profissão para enfrentar estes fatores.

Este relatório traz a visão e as perspectivas de mais de 400 stakeholders de diversas especialidades, que por meio de workshops, fórums e entrevistas realizados na Ásia, América do Norte e do Sul, Europa e África compartilharam suas opiniões de quais seriam as necessidades de desenvolvimento e adaptação para 2030. O relatório identifica seis áreas de atuação para curto e médio prazo que apoiarão a profissão e o setor para se prepararem para os novos desafios e oportunidades. São elas:

Ganhar a guerra por taletos
Empregadores precisam de apoio para atrair e reter talentos de maneira mais diversificada para executar os negócios do futuro.

A ética como pilar central em tudo o que fazemos
Promover a educação e as normas de modo a contribuir para um comportamento ético no nosso setor. A RICS está atualmente trabalhando em uma coalizão global para formatação de um Padrão Global de Ética (International Ethics Standards – IES). A instituição também trabalha em conjunto com a ONU em seu pacto Global (UNGC) para formular melhores práticas para o setor com o objetivo de promover a sustentabilidade.

Criação de cidades bem-sucedidas e sustentáveis
Melhorar a gestão da cidade utilizando aconselhamento profissional para ajudar a alavancar o financiamento do desenvolvimento e incorporar todos os aspectos da sustentabilidade nas práticas de planejamento e adjudicação de contratos de uso da terra.

Promover tecnologia e dados
Desenvolver alianças estratégicas com empresas e organizações na vanguarda da inovação tecnológica, e aconselhar os profissionais sobre como se beneficiar com estas transformações.

Contribuir para novas oportunidades para a profissão
Criar uma profissão mais dinâmica que possa responder às mudanças do mercado e da sociedade.

Desenvolvimento de uma lideranças mais forte
Liderança é uma outra questão apontada como um dos temas principais para a evolução da profissão. Muitos profissionais destacaram a necessidade de se trabalhar mais diretamente com governos para que o setor de ambiente construído tenha uma voz mais influente na política.

Este estudo identifica rápidas transformações do setor. Entretanto, o CEO da RICS, Sean Tompkins diz que os dados obtidos nessa pesquisa também pode se aplicar a outras áreas.

(Redação - Agência IN)