Produção de petróleo recua em novembro

  •  
Produção de petróleo recua em novembro (Foto: Pexels) Produção de petróleo recua em novembro

A produção nacional em novembro foi de 3,550 MMboe/d (milhões de barris de óleo equivalente por dia), sendo 2,755 MMbbl/d (milhões de barris por dia) de petróleo e 126 MMm3/d (milhões de m3 por dia) de gás natural, segundo dados da ANP. A produção de petróleo reduziu 4,1% se comparada com a do mês anterior e 10,9% frente a novembro de 2019. No gás natural, a queda foi de 2,8% em relação a outubro e de 7,5% na comparação com o mesmo mês do ano anterior.

A redução na produção total de petróleo e gás em novembro foi motivada, principalmente, por paradas programadas e/ou causadas por necessidades operacionais de plataformas localizadas nos campos de Búzios, Tupi (localizados na Bacia de Santos, no polígono do Pré-sal), Albacora (Bacia de Campos) e Atlanta (Bacia de Santos).

O destaque positivo de novembro foi o poço 9-ATP-1-RJS do campo de Atapu, na Bacia de Santos, que saltou da décima para a segunda posição no ranking de poços com maior produtividade, atingindo um volume médio de produção de 57.258 boe/d (barris de óleo equivalente por dia) e ficando atrás apenas do poço 7-BUZ-10-RJS, no campo de Búzios, também na Bacia de Santos, que produziu 65.228 boe/d. O poço 9-ATP-1-RJS produz em uma jazida compartilhada que compreende os campos de Atapu, Oeste de Atapu e uma parcela não contratada da União, que teve seu 1º óleo extraído em junho de 2020 com a P-70.

Pré-sal

A produção no Pré-sal em novembro foi de 2,422 MMboe/d, sendo 1,920 MMbbl/d de petróleo e 79,808 MMm3/d de gás natural. No total, houve redução de 4,4% em relação ao mês anterior e de 6,4% em relação a novembro de 2019. A produção no Pré-sal teve origem em 116 poços e correspondeu a 68,3 % da produção nacional.

Aproveitamento do gás natural

Em novembro, o aproveitamento de gás natural foi de 97,5 %. Foram disponibilizados ao mercado 54,7 MMm³/dia. A queima de gás no mês foi de 3,1 MMm³/d, um aumento de 3,7 % se comparada ao mês anterior e redução de 8,6% se comparada ao mesmo mês em 2019.

(Redação - Investimentos e Notícias)