Qualicorp registra lucro líquido de R$ 126,7 mi no 2T20

  •  
Qualicorp registra lucro líquido de R$ 126,7 mi no 2T20 (Foto: Pexels) Qualicorp registra lucro líquido de R$ 126,7 mi no 2T20

A Qualicorp apresentou lucro líquido de R$ 126,7 milhões no segundo trimestre de 2020 (+21,5% yoy), impulsionado por alguns ganhos não recorrentes, principalmente, na venda da operação do QSaúde (outras Rec/Desp) e melhora na taxa efetiva de IR/CSLL, que compensaram a queda de 1,9% observada no EBITDA Ajustado. Destaque também para o bom desempenho no controle de custos e despesas que permaneceram estáveis na comparação anual, além da queda das despesas com PDDs e liminares.

No acumulado do ano, o lucro líquido da companhia atingiu R$ 195,2 milhões (-3,0%) sendo impactado negativamente por efeitos não recorrentes (R$ 21,0 milhões) advindos, principalmente, da rescisão de executivos ao longo do semestre e pela maior despesa financeira em função do aumento do endividamento da companhia após redução de capital efetuada em 2019, parcialmente compensados pelo forte controle de custos, despesas e redução na alíquota efetiva de IR/CSLL.

A receita bruta da Companhia apresentou pequena contração no 2T, com estabilidade no segmento de Afinidades Médico Hospitalar e pequena retração nos demais segmentos. No segmento Afinidades Médico-Hospitalar, a principal fonte de receita, a Companhia obteve crescimento nas receitas recorrentes (Taxa de Administração e Corretagem) refletindo o crescimento no portfólio de vidas e retração nas receitas one-time de agenciamento em função do mix de vendas e renegociação do incentivo para algumas carteiras nesse trimestre.

Apesar da pequena contração na receita, o EBITDA cresceu 11,6% na comparação anual e 29,8% na comparação trimestral, enquanto a margem EBITDA cresceu para 60,4% no 2T20, versus 52,6% no 2T19 e 44,8% no 1T20, beneficiado pelos efeitos não recorrentes, principalmente pela venda da operação do QSaúde.

Já o EBITDA ajustado atingiu R$ 233,5 milhões(-3,6% vs. 1T20e -1,9%vs. 2T19), com margem EBITDA ajustada consolidada de 48,3%no 2T20. A ligeira queda anual de margem se deve principalmente à contração de receita e pela maior amortização de comissões de vendas, apesar do bom desempenho no controle de custos de despesas.

A Geração de Caixa operacional atingiu R$ 228,7 milhões no trimestre, como consequência do bom desempenho operacional aliado a melhorias no capital de giro em função da diminuição dos adiantamentos de prêmios feitos a algumas operadoras e postergação do pagamento de impostos federias durante a pandemia (R$ +15 milhões), que serão pagos ao longo do 3T20.

Por fim, o CAPEX em TI atingiu R$3,8 milhões no 2T20, devido principalmente aos investimentos em sistemas visando a melhoria operacional. No 1T20, dos R$ 6,1 milhões em aquisição do imobilizado, R$5,3 milhões se referem a investimentos na sede do QSaúde, cuja venda foi concluída em abril de 2020.

(Redação – Investimentos e Notícias)