Receita de subscrição da TOTVS registra aumento de 16,3% no 1T16

  •  
O aumento foi de 16% em relação ao mesmo período do ano anterior. Resultado reforça aposta da companhia no modelo de venda Intera, baseado em Cloud Foto: Divulgação O aumento foi de 16% em relação ao mesmo período do ano anterior. Resultado reforça aposta da companhia no modelo de venda Intera, baseado em Cloud

A TOTVS S.A (BMF&FBOVESPA: TOTS3), líder no desenvolvimento de soluções de negócio no Brasil e América Latina, anuncia hoje os resultados do primeiro trimestre de 2016 (1T16). A companhia, mais uma vez, registra crescimento da receita proveniente do modelo de subscrição. No 1T16, o aumento foi de 16,3% em relação ao mesmo período de 2015, somando R$ 52,1 milhões. No acumulado dos 12 meses, o total foi R$ 196,1 milhões, valor 17,2% acima do registrado em 12M-1T15.

Esse foi o primeiro trimestre que a receita de subscrição superou a receita de licenciamento, resultado que reforça a aposta da companhia na modalidade TOTVS Intera. Nessa opção, o cliente define e gerencia quantas identidades estarão habilitadas a ter acesso a todos os softwares de gestão, produtividade e colaboração da TOTVS. O modelo permite que o cliente utilize as soluções em qualquer nuvem homologada pela TOTVS (Cloud).

Nos três primeiros meses do ano, a receita recorrente totalizou R$ 334 milhões, valor 8,7% superior ao 1T15. Nos 12M-1T16, o aumento registrado foi de 8,1% em um total de R$ 1,3 bilhão. A receita líquida registrou uma leve queda de 1% e totalizou R$ 551,4 milhões. No acumulado de 12 meses, a receita líquida cresceu 1,3%, somando R$ 2,3 bilhões.

O EBTIDA do 1T16 totalizou R$ 114,6 milhões, crescimento de 34,8% sobre o EBITDA ajustado do 4T15, resultado da recuperação da margem de contribuição de software e serviços, e da otimização de estruturas administrativas e pelo início da integração das operações de TOTVS e Bematech. A margem EBITDA do trimestre totalizou 20,8%, em comparação aos 23,6% no 1T15, com crescimento de 590 pontos-base sobre a margem EBITDA do 4T15.

O lucro líquido da companhia registrou R$ 49,8 milhões no trimestre, 39% abaixo do registrado no mesmo período do ano anterior, devido ao endividamento líquido resultante da aquisição da Bematech.

“Entendemos que o cenário econômico é delicado, mas temos confiança de que estamos no caminho certo com o modelo de subscrição, a especialização por segmento e a integração das operações da Bematech”, destaca Gilsomar Maia, CFO e diretor de Relações com Investidores.

(Redação - Agência IN)