Receita Líquida da BRMALLS atingiu R$321,7 milhões no 2T16

  •  
Receita Líquida da BRMALLS atingiu R$321,7 milhões no 2T16 (Foto:Divulgação) Receita Líquida da BRMALLS atingiu R$321,7 milhões no 2T16

No segundo trimestre de 2016 a Receita Líquida da BRMALLS atingiu R$321,7 milhões, mostrando um decréscimo de 4,2% em relação ao mesmo período do ano anterior, excluindo a participação dos shoppings vendidos nos últimos 12 meses. A receita líquida foi impactada por uma maior concessão de descontos, pontuais e temporários, que visam o reestabelecimento da saúde financeira dos lojistas e a redução de inadimplência.

As Despesas Gerais e Administrativas mostraram redução de 26,0% em relação ao mesmo período do ano anterior, totalizando R$24,4 milhões. O valor representa 7,0% da receita bruta, traduzindo uma melhora de eficiência de 1,8 p.p. 

O EBITDA Ajustado totalizou R$230,1 milhões no trimestre enquanto a Margem EBITDA Ajustado do 2T16 foi de 71,5%.

O FFO Ajustado da BRMALLS alcançou R$68,6 milhões no 2T16, com Margem FFO Ajustado de 21,3%. A métrica apresenta um crescimento de 105,8% e expansão de margem de 11,3p.p frente ao 1T16.

A BRMALLS foi bem-sucedida na sua estratégia de desalavancagem, mostrando uma redução de dívida líquida de 5,7% quando comparado ao mesmo período do ano anterior. Excluindo nossa dívida perpétua, a dívida líquida reduziu em 8,3% desde o 2T15.

No 2T16, o Custo de Ocupação apresentou uma redução de 0,8p.p comparado ao 1T16, alcançando 11,3%.
A Taxa de Ocupação da Companhia foi de 95,8% no segundo trimestre de 2016. Em nosso portfolio, temos 28 ativos com mais de 97% de seu ABL ocupado. A ocupação média dos 10 shoppings mais representativos em termos de NOI, que representam 55% da BRMALLS, é de 97,6%.

Mesmo com o cenário de crise confiança e de dificuldade para o varejo, o Leasing Spread de Renovações totalizou 10,0% no 2T16, um incremento de 3,2 p.p. em relação ao 1T16.

Em junho, a BRMALLS captou um total de R$225,0 milhões por meio de uma debênture que foi lastro para um CRI. A emissão foi em três séries, a primeira a uma taxa de CDI+1,75% com prazo de 15 anos, a segunda a uma taxa de CDI+1,67% com prazo de 12 anos e a terceira, emitida em julho, a taxa de CDI+0,10% com prazo de 5 anos. A última série teve fechamento 55 bps abaixo da taxa teto de CDI+0,65%.

Em Assembleia Geral do dia 29/04/2016, foi aprovado um aumento do capital social da Companhia com a emissão de 140,1 milhões de novas ações ordinárias, distribuídas de forma igualitária como bonificação de 30% do número de ações.

A Companhia encerrou o trimestre com a ação transacionada a R$12,85, mostrando um aumento no trimestre de 10,6% e de 53,7% no ano. O forte desempenho da ação superou o Ibovespa, que cresceu 17,7% desde janeiro. O volume médio financeiro diário transacionado no trimestre foi de R$73,5 milhões, aumento de 26,9% em relação ao ano passado, mostrando aumento de liquidez na ação da BRMALLS.

(Redação – Agência IN)