Receita líquida do Grupo Natura cresce no 1T20

  •  
Receita líquida do Grupo Natura cresce no 1T20 (Foto: Divulgação) Receita líquida do Grupo Natura cresce no 1T20

A receita líquida consolidada do Grupo Natura no primeiro trimestre, em BRL, cresceu 1,9% na comparação anual, impulsionada pelo crescimento na Natura&Co América Latina e na Aesop.

A margem bruta consolidada atingiu 61,7% (-90 pbs). Excluindo os efeitos da PPA sobre o CMV de R$105,9 milhões (R$54,7 milhões na Natura&Co América Latina; R$51,2 milhões na Avon International), a margem bruta consolidada ajustada atingiu 63,1% no 1T20 (-50pbs).

No 1T o EBITDA ajustado em BRL foi de R$571,5 milhões com margem de 7,6% (-220pbs), excluindo custos de aquisição não recorrentes relacionados à Avon de R$298,3 milhões, e um efeito não caixa e não recorrente de PPA de R$102,9 milhões, devido à avaliação do valor justo da Avon, resultando um aumento do valor de estoque (no custo de mercadorias vendidas), e custos de transformação de Natura&Co América Latina e da Avon International. O EBITDA reportado foi de R$ 145,3 milhões.

As despesas financeiras líquidas atingiram R$227,6 milhões no 1T20, estáveis frente a 1T19, favoravelmente impactadas pela menor taxa de juros do CDI no Brasil, que compensou maiores despesas financeiras da dívida da Avon.

O lucro líquido underlying, que exclui efeitos não recorrentes e/ou não caixa, foi de (R$284,8) milhões no 1T20, antes dos efeitos relacionados a aquisição da Avon de R$536,0 milhões, que é composto por: R$298,3 milhões em despesas de aquisição; R$171,6 milhões de impactos não caixa do PPA; R$41,0 milhões de IOF sobre a emissão de ações para a troca de ações com Avon, na aquisição feita com ações; custos de transformação de R$25,1 milhões. O prejuízo líquido reportado foi de R$820,8 milhõese foi impactado por uma alíquota de imposto de renda efetiva mais alta devido a despesas não dedutíveis relacionadas com a aquisição e efeitos de PPA na The Body Shop, relacionados passivos tributários diferidos no Reino Unido.

(Redação – Investimentos e Notícias)