Receita operacional líquida da Irani cresce no 1T20

  •  
Receita operacional líquida da Irani cresce no 1T20 (Foto: Pexels) Receita operacional líquida da Irani cresce no 1T20

A receita operacional líquida da Irani Papel e Embalagem foi de R$ 236.323 mil no primeiro trimestre de 2020, crescimento de 17% quando comparado à do 1T19 e de 1,4% quando comparado ao 4T19, refletindo principalmente o aumento no volume de vendas nos segmentos Papel para Embalagens e Embalagem de Papelão Ondulado, quando comparado ao 1T19, e à melhor performance do mercado externo em função da valorização do Dólar e Euro em relação ao Real.

O custo dos produtos vendidos no 1T20 foi de R$ 163.471 mil, 19,1% superior ao do 1T19 se comparado em números absolutos. A variação do valor justo dos ativos biológicos não está sendo considerada no valor do custo dos produtos vendidos.

As despesas com vendas no 1T20 totalizaram R$ 21,3milhões, um aumento de 12,0% quando comparado ao mesmo trimestre do ano anterior e 2,4% superior ao4T19, (incluídas as perdas por impairment de contas a receber) e representaram 9,0% da receita líquida consolidada, 9,4% no 1T19 e8,9% no 4T19. As despesas administrativas no 1T20 totalizaram R$ 17,1 milhões, um aumento de 20,7% quando comparadas ao mesmo trimestre do ano anterior e redução de 16,0% em relação ao 4T19,e representaram 7,2% da receita liquida consolidada superior aos 7,0% registrados no1T19e inferior quando comparado aos 8,7% no 4T19.

O resultado líquido foi de R$ 18,0 milhões de lucro no 1T20, em comparação a R$ 242 mil de lucro no 1T19 e R$ 14,1 milhões de lucro no 4T19. Os principais impactos no resultado líquido deste trimestre foram o crescimento da receita líquida de vendas, a variação positiva do valor justo dos ativos biológicos e a melhor margem das exportações em função da valorização do Dólar e do Euro frente ao Real.

O EBITDA ajustado no 1T20 foi de R$ 52,2milhõescom margem de 22,1%, 3,4% superior ao apurado no 1T19 de R$ 50,5 milhões com margem de 25,0%, principalmente em função da melhor performance das margens neste trimestre, e 35,3% inferior quando comparado ao 4T19 de R$ 80,6 milhões com margem de 34,6%, em função de o EBITDA do 4T19 ter sido impactado positivamente pela venda de florestas da Companhia localizadas no estado do Rio Grande do Sul no montante de R$ 39,0 milhões.

(Redação – Investimentos e Notícias)