Renault conquista terreno na Europa

  •  
Renault conquista terreno na Europa (Foto: Divulgação) Renault conquista terreno na Europa

Em um mercado automobilístico mundial em alta de 1,4% no 1º semestre de 2015, os emplacamentos do Grupo Renault estão também em ligeira progressão, com 1.375.863 unidades. A atividade do Grupo confirma a tendência observada há vários meses: dinamismo na Europa e evolução desigual nas demais regiões – uma compensando a outra.

Na Europa, os emplacamentos do Grupo Renault continuam a crescer mais do que o mercado, agora em alta de 9,3%, em um mercado em progressão de +8,5% (849.088 veículos emplacados). Em progressão na maioria dos países europeus, a participação de mercado do Grupo atingiu 10,2% (VP+VU), graças principalmente à performance do Sul da Europa.

A marca Renault apresenta uma bela performance: os emplacamentos da marca estão em progressão de 10,6%, com 643.928 unidades com o avanço dos modelos Clio, Captur, Twingo, Trafic e Master.

Fora da Europa, as turbulências encontradas em alguns mercados emergentes continuam a pesar na atividade, especialmente na Rússia e no Brasil, onde os emplacamentos do Grupo estão em queda, assim como o mercado (em queda de 40,8% e 18,7%). Por outro lado, a situação é nitidamente mais positiva na Turquia, Romênia ou ainda na Argélia, onde os emplacamentos do Grupo estão respectivamente em progressão de 35,3%, 23,9% e 8,6%.

“Neste primeiro semestre de 2015, fortalecemos sensivelmente nossa posição na Europa e conseguimos amortecer a queda dos mercados russo e brasileiro. Estes resultados demonstram que somos menos dependentes de um ou outro mercado e que sabemos aproveitar oportunidades onde quer que elas se encontrem” destacou Jérôme Stoll, membro do Comitê Executivo, Diretor Delegado de Performance e Diretor Comercial do Grupo.

Na Europa, o Grupo Renault soube aproveitar plenamente o sucesso de seus novos produtos e a recuperação do mercado: os emplacamentos estão em alta de 9,3%, com 849.088 veículos comercializados no 1º semestre. Mais de um veículo a cada 10 emplacados na Europa é vendido pelo Grupo.

A marca Renault se destaca especialmente por seu dinamismo comercial, com 643.928 veículos emplacados no 1º semestre (+10,6%). Depois da Nissan, a Renault é a segunda marca que mais avança, com uma participação de mercado (VP+VU) de 7,8% (+0,14 ponto).

Apesar de uma base de comparação mais elevada no 1º semestre de 2014 devido ao lançamento do Duster Fase 2, a marca Dacia registra um crescimento de 5,3%, com 205.160 veículos emplacados nos seis primeiros meses de 2015. A marca comemora neste ano o 10º aniversário de seu lançamento na Europa, tendo alcançado o patamar dos 2 milhões de modelos Dacia vendidos na região.

Entre os principais mercados europeus do Grupo Renault, a Espanha e a Itália apresentaram os maiores crescimentos (alta dos emplacamentos de 30,9% e 24,4% respectivamente), ficando em 5º e 3º lugar entre os mercados do Grupo. O Grupo atingiu sua melhor performance dos últimos 30 anos na Itália, com 9,2% de participação de mercado.

Em um mercado de veículos elétricos sempre em forte crescimento na Europa (+52%1), os volumes da Renault aumentaram 72%1 em relação a 2014. A Renault registra principalmente progressões bastante significativas no Reino Unido e Noruega. O ZOE se mantém como modelo ponta-de-lança da Renault, cujos volumes mais que dobraram neste início de ano. A Renault visa a se manter como número 1 em vendas de veículos elétricos na Europa em 2015.

Na França, primeiro mercado do Grupo, os emplacamentos estão em progressão de 3,7%, com um total de 325.365 veículos. A taxa de penetração da marca Renault na França atingiu 22,3%, em progressão de 0,23 pt. Os modelos Clio, Twingo, Captur e Scénic são líderes de seus respectivos segmentos. No mercado francês de veículos utilitários, o Grupo ganhou mais 1,2 ponto e se mantém como líder, com 32,5% do mercado. Os modelos Kangoo, Trafic e Master dominam seus segmentos.

Na região Eurásia, o mercado russo está em queda de 37,1% no semestre, abatido pela crise econômica. Neste mercado bastante competitivo, o Grupo se concentra na defesa de suas margens e apresenta uma participação de mercado de 7,4%, em queda de 0,5 ponto.

A recuperação do mercado turco, onde as vendas do Grupo aumentaram 35,3% (67.856 unidades), para uma participação de mercado de 15,8%, bem como a boa performance apresentada na Romênia (+24%, com uma participação de mercado de quase 42%), permitiram que toda a região Eurásia contivesse o recuo de suas vendas de -10,2%.

Na região Américas, os emplacamentos estão em retração de 20,6%, com 163.223 veículos. Os emplacamentos no Brasil estão em recuo de 18,7% com 89.527 unidades, mas o Grupo conseguiu elevar sua participação de mercado para mais de 7,0%.

Na Argentina, em um contexto financeiro local difícil, a Renault decidiu limitar sua exposição ao peso e, portanto, o volume de suas importações. Seus emplacamentos estão em queda de 39,8% (31.808 unidades), em um mercado em recuo de 17,5% no semestre.

O Grupo mantém uma posição forte na Colômbia, apresentando 17,6% de participação de mercado, em progressão de 1 ponto em relação ao primeiro semestre de 2014.

Na Região África / Oriente Médio / Índia, os emplacamentos do Grupo estão em ligeira alta (+0,7%), com 150.735 veículos, para uma participação de mercado de 3,6%. Com as marcas Renault e Dacia, o Grupo detém a liderança no Magrebe, com uma participação de mercado recorde na Argélia (31,8%, +7,2 pontos) e no Marrocos 38,2% (+0,9 ponto). Grande destaque para a Argélia, onde o Renault Symbol (produzido localmente na cidade de Oued Tlelat, região de Orã e lançado ao final de 2014), tornou-se em maio o carro mais vendido do mercado.

Na Índia, em um mercado em alta de 6,2%, as vendas estão em retração de 3,2% (23.346 veículos), mas estão em progressão desde o lançamento do Lodgy em abril passado. A chegada do Kwid deve melhorar esta dinâmica na segunda metade do ano.

Na Região Ásia / Pacífico, os emplacamentos estão em queda de 5,6% (53.621 veículos), apesar da progressão da Renault Samsung Motors na Coreia (+0,8%, 37.260 unidades vendidas). Na China, o Grupo apresenta vendas em nítido recuo (-45,5%), enquanto aguarda o lançamento comercial de um novo veículo produzido localmente, no início de 2016.

No segundo semestre, o mercado automobilístico europeu deve se manter promissor e continuar a compensar a queda de nossos principais países emergentes. Prevemos uma progressão em ritmo anual de no mínimo 5% na Europa e pelo menos 2% na França. O mercado automobilístico mundial deve registrar um crescimento da ordem de 1%, contra os 2% previstos anteriormente, em razão principalmente da desaceleração do mercado chinês e da crise na América Latina e Rússia.

O Grupo deve se beneficiar do efeito dos recentes lançamentos, principalmente Espace e Kadjar, que foram muito bem recebidos pelo mercado, assim como do Lodgy e Kwid na Índia.

(Redação – Agência IN)