Rodobens Negócios Imobiliários gera caixa de R$ 13 milhões no 3T15

  •  
Companhia priorizou a preservação de sua posição de caixa e o gerenciamento de seu portfólio, com foco na comercialização do estoque pronto Foto: Divulgação Companhia priorizou a preservação de sua posição de caixa e o gerenciamento de seu portfólio, com foco na comercialização do estoque pronto

A Rodobens Negócios Imobiliários (BM&FBovespa: RDNI3), divulgou hoje seu resultado operacional referente ao 3T15. Com foco na gestão de seu portfólio, a companhia possui estoque de apenas 10%, um dos patamares mais baixos do setor.

Nos primeiros nove meses do ano as vendas do segmento Urbanismo mais que dobraram. O que representou vendas de R$88 milhões, representando 28% das vendas totais da empresa. No acumulado do ano, as vendas líquidas de todas as linhas de produtos totalizaram R$318 milhões.

Ao longo do ano, em virtude do cenário macroeconômico desafiador, a companhia priorizou a venda de seu estoque, bem como a gestão de seu portfólio, focando na geração de caixa e redução do endividamento. Diante deste cenário, a companhia não realizou lançamentos no 3T15. “Continuamos trabalhando no desenvolvimento e nas aprovações dos projetos dos terrenos que temos em nosso landbank, mas os lançamentos só irão acontecer quando vislumbramos melhores condições de mercado”, afirma o Diretor Financeiro e de Relações com Investidores da Rodobens Negócios Imobiliários, Flávio Vidigal.

O nível da dívida líquida sobre o patrimônio líquido ficou em 26,4%, um dos mais baixos do setor. A dívida corporativa caiu de R$ 387 milhões no final de 2014 para R$ 273 milhões no final de setembro 2015. A geração de caixa no trimestre foi de R$13 milhões, excluindo o pagamento de terrenos. “Encerramos o trimestre com uma sólida posição de caixa que nos dá conforto para enfrentar a atual conjuntura do mercado. Seguindo o direcionamento da companhia de reduzir a dívida corporativa”, diz Vidigal.

Aproveitando oportunidades do mercado e visando uma operação permanente, a companhia adquiriu por meio de permutas três terrenos nos estados de Mato Grosso, Minas Gerais e São Paulo. O VGV potencial dessas áreas é de R$ 288 milhões. O landbank para empreendimentos residenciais atingiu VGV total potencial de R$2,6 bilhões, dentre os quais R$2,1 bilhões (79% do total) são áreas adquiridas e R$0,6 bilhão são áreas com opção de compra (21% do total), distribuídos em 14 municípios em 5 estados.

No 3T15 foram concluídos 5 empreendimentos (1 loteamento, 1 Stillo e 3 MCMV) e 4 fases de empreendimentos Minha Casa Minha Vida, que totalizaram 3VGV de R$224 milhões, com 1967 unidades entregues.

(Redação - Agência IN)