Setor de drones tem previsão de faturar até R$ 200 mi em 2016

  •  
Setor de drones tem previsão de faturar até R$ 200 mi em 2016 Foto: Divulgação

A Drone Show Latin America, primeira feira de drones da América Latina que aconteceu em São Paulo no final de outubro (dias 28 e 29), recebeu mais de dois mil e quinhentos visitantes, segundo o diretor da MundoGeo, empresa responsável pela organização do evento, Emerson Zanon Granemann. “O número registrado superou nossas expectativas em 25%. O que mais nos surpreendeu foi também a qualidade do público presente, que mostrou grande interesse pelos produtos e as tecnologias embarcadas nos drones, como também real interesse e disposição em ampliar seu horizonte profissional, alavancando assim novos negócios”, diz o organizador.

Embora não exista uma previsão de quanto a feira deve gerar diretamente em negócios futuros, há uma expectativa de que o mercado de drones fature de 100 milhões a 200 milhões de reais em 2016. Essa expectativa otimista se deve, principalmente, por conta da regulamentação da ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil para o uso profissional de drones no país, prevista para o início do próximo ano. “As empresas estão aguardando por isso para que possam definir melhor as estratégias de investimento no setor. Muitas oportunidades vão surgir a partir da regulamentação. Nosso evento aconteceu neste momento oportuno e único”, completa Granemann.

As imagens coletadas pelos drones, ou Veículos Aéreos Não Tripulados (VANTs), já são utilizados em diferentes atividades da economia, como engenharia, agropecuária, mineração, mapeamento, publicidade, segurança, defesa, jornalismo, eventos, entre outras. De acordo com a Associação Brasileira de Multirrotores (ABM), existe hoje no país mais de 20 mil pilotos profissionais de drones. “Número que também deve crescer bastante depois da regulamentação”, diz o organizador da Drone Show Latin America, que acredita no surgimento de 3 mil a 5 mil novas oportunidades de trabalho entre empregos diretos e indiretos, em 2016, incluindo todas as outras áreas que envolvem o setor.

Tamanho otimismo fez com que Granemann já confirmasse a segunda edição da feira para o próximo ano em São Paulo, com uma previsão de crescimento de 50% no número de expositores e participantes.

(Redação - Agência IN)