Setor de serviços paulista gera 437 empregos em setembro

Setor de serviços paulista gera 437 empregos em setembro (Foto: Divulgação) Setor de serviços paulista gera 437 empregos em setembro

Pelo terceiro mês consecutivo o saldo do mercado de trabalho no setor de serviços do Estado de São Paulo permaneceu positivo, com a criação de 437 empregos formais, resultado de 164.186 admissões contra 163.749 desligamentos, o melhor resultado para o mês de setembro desde 2014. Na comparação com o mesmo mês de 2016, houve expressiva melhora, já que, na ocasião, foram eliminados 2.410 postos de trabalho no setor. No acumulado do ano, foram criadas 61.553 novas vagas, frente ao fechamento de 42.720 vínculos celetistas no mesmo período do ano passado. Por outro lado, de outubro de 2016 a setembro de 2017, 26.238 postos de trabalho foram fechados. Com isso, o setor de serviços encerrou o nono mês do ano com um estoque total de 7.335.669 trabalhadores formais, montante 0,4% inferior ao contraponto anual.

Os dados compõem a Pesquisa de Emprego no Setor de Serviços do Estado de São Paulo (PESP Serviços), realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) com base nos dados do Ministério do Trabalho, por meio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e do impacto do seu resultado no estoque estabelecido de trabalhadores no Estado de São Paulo, calculado com base na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

Entre as 12 atividades pesquisadas, três apresentaram alta no estoque de empregos na comparação com setembro de 2016: os serviços médicos, odontológicos e serviços sociais (2,1%); profissionais, científicas e técnicas (0,6%); e alojamento e alimentação (0,3%). Os destaques negativos ficaram por conta das atividades de transporte e armazenagem (-2,4%); financeiras e de seguros (-1,8%); e outras atividades de serviços (-1,5%).

No acumulado de 12 meses, o grupo de serviços de transporte e armazenagem também se destacou, com o fechamento de 18.417 vagas, puxado pelos serviços de transporte de carga (-7.188 vagas). Em termos absolutos, nota-se também uma intensa eliminação de empregos formais no segmento de serviços administrativos e complementares (-6.324 vagas), sendo os serviços de segurança privada que mais apresentou perda de vagas. Do lado positivo, o bom desempenho ficou por conta do mercado de trabalho dos serviços médicos, odontológicos e sociais, com a abertura de 16.236 novas vagas entre outubro de 2016 e setembro de 2017.

Segundo a FecomercioSP, no acumulado do ano, o número de atividades com saldo de empregos positivo subiu para oito, destacando-se também os serviços educacionais (24.211 empregos) e serviços médicos, odontológicos e sociais (17.893 vagas). Vale ressaltar que seis das 12 atividades geraram vagas, e nos cinco grupos com mais desligamentos que admissões, o saldo negativo foi pouco significativo.

Para a Federação, apesar da relativa estabilidade de setembro, no comparativo com agosto e julho, ainda há uma geração de vagas formais, e a expectativa é que os saldos positivos de empregos previstos para os próximos meses possibilitem que o setor encerre 2017 com um bom desempenho geral.

Segundo a Entidade, com inflação baixa, juros em queda e melhoria dos indicadores de confiança de empresários e consumidores, há segura garantia de melhoria da dinâmica de crescimento econômico do País. Como o setor de serviços tem característica bastante transversal, com a recuperação inicial do ambiente de negócios, há previsão de avanço contínuo dos números do setor.

O setor de serviços na cidade de São Paulo também apresentou saldo positivo em setembro, com a geração de 1.137 empregos, resultado de 76.265 admissões contra 75.128 desligamentos. Pela primeira vez desde julho de 2015, o saldo de empregos em 12 meses ficou positivo, com criação de 656 vagas. Assim, o setor de serviços encerrou o mês com um estoque total de 3.492.349 empregados.

Mesmo com o bom desempenho geral, quatro das 12 atividades analisadas registraram fechamento de postos de trabalho no mês, com destaques para médicos, e odontológicos e serviços sociais (-605 vagas); transporte e armazenagem (-442); e administrativas e serviços complementares (-259 empregos). Os maiores saldos positivos foram vistos nos segmentos de profissionais, científicas e técnicas educação (673 vagas); educação (671); e alojamento e alimentação (484 empregos).

(Redação - Agência IN)