Smartphones impulsionam o crescimento de ecossistemas móveis na América Latina

Smartphones impulsionam o crescimento de ecossistemas móveis na América Latina Foto: Divulgação Smartphones impulsionam o crescimento de ecossistemas móveis na América Latina

Novos dados da GSMA apontam que smartphones contabilizam 60% do mercado; Brasil, México e Argentina lideram a adoção do 4G

Os smartphones agora representam seis em cada dez conexões móveis na América Latina, ajudando a impulsionar o aumento do uso de redes sociais e outros serviços baseados em dispositivos móveis em toda a região. De acordo com os novos dados do "Mobile Trends Report" da GSMA, anunciados durante o Mobile World Congress Americas nesta semana, foram realizadas 690 milhões de conexões móveis na América Latina neste trimestre, e os smartphones representaram 60 por cento dessas conexões. O novo relatório também destaca a migração acelerada da região para 4G, que agora representa quase um quarto das conexões.

"Os smartphones representaram menos de uma em cada dez conexões em 2012, mas tiveram um crescimento extremamente forte ao longo dos últimos anos, o que ajudou a migrar os assinantes móveis latinoamericanos para redes 4G mais rápidas", disse Sebastian Cabello, diretor-geral da GSMA Latin America. "Esse crescimento foi facilitado pelo declínio nos preços dos telefones inteligentes e pela crescente disponibilidade de subsídios de aparelhos e ofertas por parte das operadoras móveis. Os smartphones têm sido fundamentais para estabelecer a América Latina como um dos maiores consumidores mundiais de redes sociais, sendo que a maior parte do uso pelas redes móveis.

"O ecossistema móvel da América Latina também dá suporte a um ambiente de comércio eletrônico de rápido crescimento e a um vibrante ecossistema de startups de tecnologia baseado em grandes centros regionais, como São Paulo, Buenos Aires e Cidade do México".

Brasil, México e Argentina lideram as migrações regionais para redes 4G
O 4G representa aproximadamente um quarto das conexões móveis na região, quase o dobro em relação ao ano anterior, devido à forte adoção 4G em grandes mercados, como Brasil, México e Argentina. No Brasil, 35% das conexões estão sendo executadas em redes 4G, uma das maiores taxas de adoção 4G na região da América Latina.

Para as operadoras móveis, o aumento da adoção de 4G e o maior consumo de dados móveis estão contribuindo para uma elevação nos níveis de ARPU após vários anos de declínio. A GSMA Intelligence, braço de pesquisa da GSMA, calcula que a receita do serviço móvel na América Latina crescerá 4% no atual trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior.

Alimentando o Ecossistema de Startups
O fortalecimento da economia móvel da região também está ajudando a alimentar um vibrante ecossistema de startups. O financiamento de startups por meio de capital de risco e private equity na América Latina aumentou nos últimos anos. De acordo com a CB Insights, o financiamento total em todos os setores atingiu um valor recorde de US$ 5,5 bilhões no primeiro semestre de 2017.

De acordo com o último relatório Tecnolatinas, o ecossistema de startups tecnológicas da América Latina é avaliado em US$ 37,7 bilhões. O relatório observa que existem 123 "Tecnolatinas" avaliadas em mais de US$ 25 milhões, incluindo nove unicórnios, cada um avaliado em mais de US $ 1 bilhão. A maioria das startups identificadas no relatório (69 por cento) têm menos de 10 anos de idade. O relatório também destaca sete áreas emergentes que oferecem grandes oportunidades de crescimento para Tecnolatinas: FinTech; tecnologia agro e alimentos; AI e automação; biologia sintética; energias renováveis; realidade virtual e aumentada; e a Internet das coisas.

(Redação - Agência IN)