Supermercados e hipermercados aceleram contratações em março

  •  
No varejo alimentar paulista, houve fechamento de apenas 31 vagas Foto: Divulgação No varejo alimentar paulista, houve fechamento de apenas 31 vagas

O mês de março apresentou o fechamento líquido de 43.190 de postos de trabalho no país, sendo 11.717 no comércio varejista. O varejo alimentar em São Paulo, por sua vez, apresentou o fechamento de apenas 31 vagas. O desempenho apresentado pelo segmento em março é o melhor para o mesmo período nos dois últimos anos.

 

A análise por canal demonstra supermercados e hipermercados com o melhor resultado para um mês de março dos últimos três anos, com 474 contratações líquidas. Há um leve aumento de confiança do setor, comparado a 2018, tornando o segmento mais otimista e, portanto, promovendo contratações.

Já os atacarejos e atacadistas seguem se adaptando ao novo momento. Com o aumento da competição e busca por canais diretos pela indústria, esses canais tiveram o pior mês de março desde 2010, com 261 vagas perdidas.

Resultado semelhante foi observado em minimercados e mercearias, que pelo terceiro ano consecutivo demitiram no mês de março, algo historicamente não observado. O comércio de hortifrutigranjeiros, por sua vez, gerou 73 postos novos, melhor resultado em cinco anos.

Entre as cidades, a capital apresentou novamente melhor desempenho, com 311 novos postos de trabalho, melhor resultado para o mesmo mês desde 2017. Em 2017, o saldo havia sido negativo em 465 vagas e em março de 2018 houve geração líquida de 103 vagas. A geração líquida de 111 vagas em São José dos Campos também foi superior à observada nos dois anos anteriores.

Entre os cargos com melhor e pior geração líquida no total de empregos do varejo alimentar de São Paulo, o de repositor de mercadorias foi destaque positivo e o de açougueiro, destaque negativo.

(Redação - Investimentos e Notícias)