FecomercioSP aposta em manutenção da taxa Selic em 14,25% diante das incertezas do cenário político

De acordo com a expectativa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), o Banco Central deve manter a taxa Selic em 14,25% na reunião do Copom que ocorre entre hoje e amanhã. Apesar de a inflação dar sinais de desaceleração, na visão da Entidade, a incerteza decorrente da indefinição política gera apreensão nos agentes econômicos, o que exige cautela redobrada por parte da autoridade monetária.

Confiança do empresário do comércio apresenta leve alta de 0,6% em fevereiro

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) atingiu 74,9 pontos em fevereiro, um crescimento de 0,6% em relação a janeiro. Por outro lado, na comparação com o mesmo período de 2015, a queda foi de 21,3%. Apurado mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), o ICEC varia de zero (pessimismo total) a 200 pontos (otimismo total).


Manutenção da taxa Selic era esperada, mas inflação ainda preocupa, avalia FecomercioSP

Pela quinta vez consecutiva, o Banco Central decidiu manter a taxa básica de juros no atual patamar, de 14,25% ao ano. Na análise da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), um conjunto de equívocos de política econômica colocou o País em uma verdadeira encruzilhada. Apesar da retração acentuada da atividade, a inflação segue elevada mesmo com o crédito em queda e os juros altos. Isso porque, sem um efetivo ajuste fiscal, a capacidade da política monetária de conter a alta de preços é cada vez mais limitada. Além disso, novas altas da taxa básica tenderiam a agravar o quadro fiscal, acelerando o crescimento da dívida pública.

Paraná tem menor nível de endividamento dos últimos 12 meses

Os paranaenses estão menos endividados de acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), elaborada pela CNC e divulgada pela Fecomércio PR. Em fevereiro, 85,5% das famílias possuem algum tipo de dívida, uma redução de 0,2% com relação a janeiro.

Comércio varejista prevê queda de 1% nas vendas de Natal, aponta FecomercioSP

A expectativa dos empresários do comércio varejista paulistano é de que as vendas de Natal recuem apenas 1% em relação ao ano passado. O dado revela um certo otimismo já que o varejo mostrou quedas acentuadas e sucessivas em seu faturamento ao longo de 2015. Além disso, considerando todo o mês de dezembro, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) projeta uma retração de 10% a 12% nas vendas do varejo ampliado.

Faturamento real do varejo paulista tem queda de 9,3% em agosto

O faturamento real do comércio varejista no Estado de São Paulo manteve em agosto sua trajetória de queda e apresentou retração de 9,3% em comparação ao mesmo mês de 2014, alcançando o montante de R$ 43 bilhões. O resultado foi R$ 4,4 bilhões inferior ao alcançado em agosto de 2014. No ano, as vendas do varejo paulista já acumulam queda de 4,7%, com tendência de agravamento do quadro nos próximos meses.

Assinar este feed RSS