Expectativa de nova redução da Selic impacta rentabilidade dos títulos públicos

As rentabilidades dos títulos públicos federais foram impactadas em maio pelas apostas do mercado de uma nova redução da taxa Selic. De acordo com o Boletim de Renda Fixa da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), o IMA-Geral, índice que reflete o retorno médio desses papéis, teve valorização de 1,84% no mês e de 5,78% no acumulado do ano.

Possível redução da Selic valoriza títulos públicos prefixados

As crescentes apostas do mercado de que a taxa Selic pode ter novos cortes, diante da falta de dinamismo da economia, refletiram no aumento dos preços dos títulos públicos prefixados (as LTN - Letras do Tesouro Nacional, e as NTN-F - Notas do Tesouro Nacional série F). Apenas nesta semana, o IRF-M, índice da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) que acompanha o desempenho médio desses papéis, teve valorização de 0,6%, o que representa aproximadamente 40% do crescimento mensal, que está em 1,63%.

 

BC mantém taxa selic em 6,50% ao ano

A atualização do cenário básico do Copom pode ser descrita com as seguintes observações:

Indicadores recentes da atividade econômica apontam ritmo aquém do esperado. Não obstante, a economia brasileira segue em processo de recuperação gradual;

Firjan considera adequada manutenção da taxa Selic

A Firjan considera adequada a decisão do Copom de manter a taxa básica de juros em 6,50% ao ano, levando em conta que a economia brasileira segue com elevada capacidade ociosa, tanto no parque fabril quanto no mercado de trabalho. De fato, a recuperação econômica ainda é muito lenta e o desemprego elevado. Além disso, a inflação corrente segue em nível historicamente baixo e as expectativas de inflação se mantêm abaixo da meta estabelecida.

 

  • Publicado em Economia
Assinar este feed RSS