Vendas do varejo paulistano atingem R$ 15,6 bilhões em junho

As vendas do varejo na capital paulista cresceram 4% em junho, em relação ao mesmo período do ano passado. Considerando a série histórica a partir de 2008, foi a quarta maior cifra registrada para um mês de junho. O comércio varejista faturou R$ 15,6 bilhões no mês, R$ 600 milhões a mais do que o apurado em junho de 2016. Com esses resultados, a taxa acumulada no primeiro semestre do ano foi de 4,8%, que, em termos reais, representa um crescimento de R$ 4,2 bilhões em comparação ao apurado entre janeiro e junho do ano passado.

Vendas no varejo caem 0,2% nos EUA em agosto

O departamento do Comércio dos Estados Unidos informou nesta sexta-feira, 15, que as vendas varejistas no país registraram uma queda de 0,2% no mês de agosto, em comparação com o mês anterior.

Vendas no varejo da China sobem 10,1% em agosto

As vendas no varejo da China avançaram 10,1% em agosto deste ano, na comparação com o mesmo mês do ano passado, segundo informações divulgadas hoje pelo escritório nacional de estatísticas do país, National Bureau of Statistics (NBS). O resultado veio abaixo do esperado pelo mercado (10,5%).

(MR - Agência IN)

Varejo paulista cresce 3,6% no primeiro semestre do ano

A retomada do ciclo de recuperação do consumo, mesmo diante das instabilidades políticas, impactou de forma incisiva para o crescimento das vendas do varejo no Estado de São Paulo, indicando que o processo de recuperação do setor está se realizando de maneira sólida. Em junho, o faturamento real do comércio varejista paulista registrou alta de 4,7% na comparação com o mesmo mês de 2016, atingindo R$ 49,6 bilhões, cerca de R$ 2,2 bilhões acima do valor apurado no mesmo período do ano passado. Essa foi a quarta elevação mensal consecutiva e a quarta maior cifra registrada para um mês de junho desde o início da pesquisa, em 2008. No acumulado do primeiro semestre deste ano, as vendas cresceram 3,6%, o que representa um faturamento R$ 10,1 bilhões superior ao obtido no mesmo período de janeiro a junho de 2016. Considerando os últimos 12 meses, o setor apresentou alta de 2,7%.

Vendas no varejo da zona do euro caem 0,3% em julho

O volume das vendas varejistas nos 17 países que compõem a zona do euro registrou queda de 0,3% em julho deste ano, na comparação com o mês anterior, segundo informações divulgadas hoje pelo Escritório de Estatística da União Europeia, Eurostat.

Vendas do varejo têm alta pelo terceiro mês consecutivo

Julho foi o terceiro mês consecutivo de resultados positivos nas vendas totais – excluídos os setores de automóveis, materiais de construção e restaurantes – de acordo com o SpendingPulse, indicador de varejo da Mastercard. Durante o período, as vendas totais tiveram alta de 3,1% em relação ao mesmo mês do ano anterior. A média de crescimento dos últimos três meses foi de 2,2%, acima do segundo trimestre do ano, que expandiu 1,1%.

Varejo paulista elimina 30.657 empregos no 1º semestre

O comércio varejista no Estado de São Paulo voltou a eliminar empregos formais em junho e encerrou o primeiro semestre com 30.657 postos de trabalho a menos. No sexto mês do ano, o varejo paulista extinguiu 953 empregos, resultado de 69.942 admissões e 70.895 desligamentos. Com isso, o setor encerrou o mês com 2.052.226 trabalhadores formais, queda de 0,5% na comparação com o mesmo mês de 2016. Vale ressaltar, porém, que o ritmo de fechamento de vagas é bem menor comparado ao ano passado, já que 5.614 postos de trabalho deixaram de existir em junho de 2016, e no acumulado do primeiro semestre, 66.602 empregos foram eliminados. Assim, verifica-se que o saldo negativo de 30.657 vagas é 54% menor do que o registrado no mesmo período do ano passado. Já na somatória dos últimos 12 meses, foram extintos 11.201 empregos com carteira assinadas.

Nível de estoques do varejo tem ligeira alta em agosto

A retomada da economia deve se intensificar no segundo semestre de 2017, como já previam os principais indicadores da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), que mostravam um deslocamento da economia em relação ao ambiente político nos meses de junho e julho. 

Assinar este feed RSS