Venda de celulares recua 32,9% no 1T16, aponta IDC Brasil

Entre os meses de janeiro e março de 2016 foram comercializados 10.3 milhões de celulares no Brasil, sendo 9.3 (89,8%) smartphones e 1 milhão (10.2%) feature phones. Os dados fazem parte do estudo IDC Mobile Phone Tracker Q1, realizado pela IDC Brasil, líder em inteligência de mercado, serviços de consultoria e conferências com as indústrias de Tecnologia da Informação e Telecomunicações. Quando comparados com o mesmo período do ano passado, os números representam, em unidades, queda de 32,9% no mercado total, 34,4% em smartphones e 15,7% em feature phones. Em receita, os smartphones movimentaram R$ 9.2 bilhões, ou seja, 6,1% a menos do que no primeiro trimestre de 2015.

Uso excessivo de dispositivos móveis prejudicam mãos e coluna

Os dispositivos móveis como smartphones e tablets são realidade no dia-a-dia do século XXI. Segundo pesquisa realizada pela Deloitte Brasil em 2015, os jovens brasileiros de 18 a 24 anos olham seus smartphones 101 vezes diariamente. A média é o dobro do registrado entre os usuários de entre 45 e 55 anos. Essa exposição tem trazido pacientes cada vez mais jovens aos consultórios de fisioterapia.

  • Publicado em Saúde

Revenda de celulares usados atrai consumidores

O atual momento político-econômico enfrentado pelo país está refletindo diretamente nos hábitos de consumo do brasileiro. Antes, viciado por tecnologia, os consumidores se endividavam para comprar o mais novo e atual modelo de celular. Porém, uma nova forma de se manter alinhado com as novas tecnologias vem chamando a atenção: a compra de celulares usados em bom estado.

Celulares de todo o Brasil terão nove dígitos até fim de 2016

Celulares de todo o país terão nove dígitos até o fim de 2016, concluindo um processo de mudanças iniciado em 2012, conforme determinação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). As próximas mudanças começam a valer a partir do dia 29 de maio de 2016 para os telefones das áreas com DDD entre 61 e 69, o que inclui os estados do Acre, de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Tocantins e Distrito Federal.

Número de celulares ativos diminui no Brasil

Estudo divulgado pelo Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil) mostra que, pela primeira vez, houve diminuição do número de linhas de celulares ativas no Brasil. Essa tendência era esperada, mas de forma mais lenta e só daqui a dois ou três anos, informou o presidente da entidade, Eduardo Levy. Os 275 milhões de celulares ativos em setembro de 2015 representam uma queda de 1% ao longo do ano.

Revenda de celulares usados atrai consumidores

O atual momento político-econômico enfrentado pelo país está refletindo diretamente nos hábitos de consumo do brasileiro. Antes, viciado por tecnologia, os consumidores se endividavam para comprar o mais novo e atual modelo de celular. Porém, uma nova forma de se manter alinhado com as novas tecnologias vem chamando a atenção: a compra de celulares usados em bom estado.

Assinar este feed RSS