Empresas do ramo da alimentação devem promover mudanças para sobreviver à crise

Em tempos de crise financeira no Brasil, diversos setores comerciais tentam encontrar soluções eficientes e que caibam em seus bolsos para sobreviver ao momento crítico com uma margem de lucro razoável. Nesse cenário, entre os setores que mais encontram dificuldades para se manter estão os estabelecimentos alimentícios como bares e restaurantes. A Abrasel, Associação brasileira de bares e restaurantes apontou que 33% dos empresários do ramo estão operando com prejuízo e que uma a cada seis empresas não terão condições de sobreviver ao mercado.

Confiança da micro e pequena empresa atinge 52,7 pontos

Com sinais graduais de uma retomada econômica, os empresários de menor porte estão aos poucos enxergando condições mais favoráveis para seus negócios. O Indicador de Confiança do Micro e Pequeno Empresário calculado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) alcançou 52,7 pontos no último mês de outubro, a sua melhor marca desde meados de 2015, início da série histórica. A escala do indicador varia de zero a 100, sendo que resultados acima de 50 demonstram uma prevalência de otimismo entre os micro e pequenos empresários.

Número de recuperações judiciais cai 9,9% em outubro

De acordo com Indicador Serasa Experian de Falências e Recuperações, em outubro foram requeridos 109 pedidos de recuperações judiciais, queda de 9,9% em relação a outubro de 2016. Já em relação a setembro deste ano, os pedidos aumentaram 7,9%. As micro e pequenas empresas lideraram os requerimentos de recuperação judicial em outubro de 2017, com 73 pedidos, seguidas pelas médias (19) e pelas grandes empresas (17).

45% das empresas brasileiras possuem alto grau de exposição à riscos de corrupção, aponta pesquisa da Protiviti

Em sua terceira edição e contando 1417 participações, o estudo de nível de maturidade em compliance, realizado pela Protiviti, consultoria global, aponta que a falta de conhecimento interno e limitação orçamentária estão entre os fatores que ainda causam a baixa aderência por práticas efetivas de compliance nas companhias nacionais.

Pontualidade de pagamentos das empresas sobe para 95,8%

A pontualidade de pagamentos das micro e pequenas empresas atingiu 95,8% em setembro/17, maior que os 95,6% verificados em agosto/17. Isto significa que, no mês passado, a cada 1.000 pagamentos realizados, 958 foram quitados à vista ou com atraso máximo de sete dias. É o que aponta o Indicador de Pontualidade das Micro e Pequenas Empresas da Serasa Experian.

Assinar este feed RSS