AGRONEGÓCIO: Poder de compra de frango vivo segue pressionado

Dentre os desafios enfrentados pelo setor de avicultura de corte no correr de 2018 esteve a alta nos preços dos insumos da alimentação (milho e farelo de soja), que resultou em diminuição no poder de compra do produtor de frango vivo, uma vez que os valores do animal não subiram na mesma intensidade. De acordo com pesquisas do Cepea, neste início de 2019, o cenário não é diferente.

Preços do frango vivo sobem, mas retração no consumo limita altas

Os preços do frango vivo e da carne tiveram novas altas nos últimos dias, mas a típica retração do consumo na segunda quinzena já começa a limitar as valorizações. Conforme pesquisadores do Cepea, para o animal vivo, o aumento esteve atrelado à maior procura para abate. Entre 9 e 16 de fevereiro, a variação positiva mais intensa, de 5,5%, foi verificada no estado de São Paulo, com a média a R$ 2,62/kg nessa quinta-feira, 16.

Cotações do frango vivo e da carne continuam subindo

Os preços do animal vivo e da carne de frango seguem em alta no mercado brasileiro, cenário que vem animando o setor. Segundo pesquisadores do Cepea, além da redução na oferta de animais, a demanda interna pela carne está aquecida, o que pode estar atrelado aos elevados patamares das carnes substitutas (suína e bovina).

Oferta reduzida eleva valores do frango vivo

Os preços do frango vivo e da carne têm subido fortemente em agosto. Segundo colaboradores do Cepea, o impulso vem da menor oferta de animais, além das valorizações da carne suína e dos altos patamares da bovina. Para o vivo, o maior aumento acumulado neste início de agosto foi registrado em Descalvado (SP), de 7%, com o quilo do animal cotado a R$ 3,10/kg nessa quinta-feira, 11.

Cotações do frango vivo e da carne frango têm avançado com força em agosto

Os valores do suíno vivo e da carne têm subido com força neste início de agosto. No atacado da Grande São Paulo, a alta no preço da carcaça especial já ultrapassa os 30% e a do animal vivo, os 20% em Minas Gerais. O impulso vem, principalmente, da baixa oferta de animais para abate e do aumento da demanda, favorecido pelas temperaturas mais amenas e pelo período de recebimento de salários. Segundo colaboradores do Cepea, as vendas devem ser intensificadas com a proximidade do Dia dos Pais.

Assinar este feed RSS