Preços médios do frango vivo sobem mais de 8% em MG

Os preços do frango vivo e da carne seguem em alta em todas as regiões acompanhadas pelo Cepea. De junho para julho, o aumento no valor médio do vivo supera os 8% e o da carne, 7%. Pesquisadores do Cepea indicam que, além do repasse dos elevados custos de produção (especialmente milho e farelo de soja), a menor oferta de animais contribuiu para impulsionar as cotações no setor avícola. Com os recentes aumentos, os preços médios do frango vivo em São Paulo e em Minas Gerais são os maiores para um mês de julho desde 2009, em termos reais.

Altas nos preços do frango vivo seguem intensas

O movimento de alta nos preços do frango vivo no mercado spot, iniciado no final de maio, segue firme nesta segunda quinzena de junho. Já os preços dos principais insumos utilizados na alimentação dos animais, milho e farelo de soja, estão em queda em muitas regiões neste mês, o que resultou em forte melhora no poder de compra de avicultores frente a esses insumos. Na parcial de junho (31 de maio a 23 de junho), o aumento nas cotações do frango vivo foi expressivo em praticamente todas as regiões pesquisadas pelo Cepea.

Preços do frango vivo sobem com força neste mês

O movimento de alta nos preços do frango vivo ganhou ainda mais força nos últimos dias. Entre 31 de maio e 16 de junho, em São Paulo, o aumento foi de 14,7%, com o animal vivo negociado a R$ 2,81/kg no dia 16. O impulso nas cotações vem da redução na oferta de animais em todas as regiões acompanhadas pelo Cepea e também da necessidade de repasse dos elevados custos de produção.

Preços do frango vivo e da carne reagem

O movimento de queda nos preços do animal vivo, que vinha sendo verificado desde o início de março, foi interrompido no começo deste mês na maioria das regiões acompanhadas pelo Cepea. No geral, indústrias integradoras trabalham com margens apertadas, devido aos baixos patamares de negociação do frango vivo e da carne e aos altos custos de produção.

Cotações do frango vivo seguem pressionadas

A oferta superior à demanda vem pressionando as cotações do pintainho, do animal vivo e da carne em praticamente todas as praças acompanhadas pelo Cepea. O elevado valor dos insumos (como milho e farelo de soja) tem feito com que indústrias encurtem o tempo de engorda dos animais, ofertando mais aves no mercado, ainda que fora do peso ideal.

Cotação do frango vivo é a mais baixa desde maio de 2015

As cotações do pintainho de um dia e do frango vivo seguem em queda nesta segunda quinzena de maio em todas as regiões acompanhadas pelo Cepea. Os atuais preços dos pintainhos de um dia são os menores desde janeiro de 2013, em termos reais (valores foram deflacionados por IGP-DI de abril/16), em todas as praças pesquisadas pelo Cepea.

Cotações do frango vivo e da carne seguem em queda

Os valores do frango vivo e da carne (congelada e resfriada) seguem em queda na maioria dos estados acompanhados pelo Cepea neste final de mês – o movimento de baixa é observado desde março. Segundo pesquisadores do Cepea, mesmo com a demanda enfraquecida do atacado, a oferta de animais para abate continua maior que a procura.

Assinar este feed RSS