Carne de frango se valoriza em setembro

De acordo com dados do Cepea, o preço do frango inteiro congelado subiu 4,4% entre 29 de agosto e 30 de setembro no atacado da Grande São Paulo, com a média encerrando o mês a R$ 3,59/kg. Para o resfriado, cotado a R$ 3,62/kg no dia 30, houve alta de 6,6% ao longo de setembro, também no atacado paulista. As altas da carne de frango estão atreladas à elevação das exportações do produto em setembro, o que favorece a diminuição da oferta interna, e à demanda interna aquecida. Em setembro, foram embarcadas 331,40 mil toneladas de carne de frango in natura, volume 10% maior que o de agosto e 19,5% superior ao de set/13, segundo dados da Secex. Quanto à demanda, entre os motivos para a elevação, estiveram os altos patamares de preços das carnes concorrentes (bovina e suína), que levam à substituição pela proteína de frango. Além disso, segundo relatam agentes, alguns compradores já iniciam a formação de estoques para o final do ano. (Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br)
(Redação – Agência IN)

Menor demanda em final de mês pressiona valor da carne de frango

A típica retração da demanda em final de mês tem pressionado as cotações da carne de frango negociada no mercado atacadista. Pesquisadores do Cepea indicam, porém, que, na parcial de setembro, os valores ainda acumulam alta no atacado. Para o curto prazo, as expectativas de agentes consultados pelo Cepea seguem positivas. Além do tradicional aumento das exportações no segundo semestre, em relação ao primeiro, compradores devem iniciar nas próximas semanas a formação de estoques para o final deste ano, o que pode contribuir para sustentar o mercado. Para o frango vivo, os preços seguem firmes, sustentados pela baixa oferta de animais. Contudo, produtores já têm elevado a procura por pintainhos de corte para alojamento, segundo relatam agentes, justamente para atender a demanda de final de ano. (Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br)

(Redação – Agência IN)

Demandas doméstica e externa valorizam carne de frango

O mercado de carne de frango segue aquecido, ao contrário do verificado para as concorrentes (bovina e suína). No atacado da Grande São Paulo, o preço do frango inteiro congelado subiu nos últimos sete dias, enquanto o da carcaça casada bovina e da carcaça comum suína recuou. Segundo pesquisadores do Cepea, os altos patamares das cotações das carnes bovina e suína limitam a demanda por essas proteínas, pressionando as cotações. Ao mesmo tempo, consumidores acabaram migrando para a carne de frango. Do lado da oferta, a produção ainda é baixa em relação à demanda e deve continuar assim, caso as expectativas de embarques maiores se mantenham. As exportações de carne de frango in natura têm ajudado a enxugar o volume disponível no mercado doméstico. De acordo com dados da Secex, a média diária exportada até a segunda semana de setembro é de 14,6 mil toneladas, 1,7% acima da de agosto, de 14,4 mil toneladas. (Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br)

(Redação – Agência IN)

Abate de frangos cai 2,7% no 2º trimestre, revela IBGE

No 2° trimestre de 2014 foi abatido 1,379 bilhão de cabeças de frangos, terceira queda consecutiva após a pesquisa ter registrado desempenho recorde no 3° trimestre de 2013, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Esse resultado significou quedas de 2,7% na comparação com o mesmo período de 2013 e de 1,2% em relação ao trimestre imediatamente anterior.

Exportação da carne de frango se enfraquece no Brasil

Os preços da carne de frango seguem em alta no mercado brasileiro neste início de setembro, mesmo com as exportações tendo registrado queda em agosto. Segundo pesquisadores do Cepea, a demanda interna está mais aquecida. Além do período de início de mês, quando normalmente o consumo aumenta, os altos patamares de preços das carnes concorrentes (bovina e suína) levam à substituição pela proteína de frango, que é mais barata. Quanto ao mercado interno de frango vivo, também vem apresentando um bom ritmo. As expectativas de aumento das exportações para os próximos meses também contribuem para o movimento altista. (Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br)

(Redação – Agência IN)

Demanda aquecida mantêm preços do frango em alta

Os preços do animal vivo e da carne de frango seguem em alta no mercado nacional, impulsionados pela oferta restrita e pela demanda mais aquecida. Segundo pesquisadores do Cepea, os altos patamares de preços das carnes concorrentes (suína e bovina) vêm contribuindo para elevar a demanda pela proteína de frango, reforçando as reações nos valores. O bom desempenho das exportações brasileiras e as perspectivas de continuidade desse cenário, decorrentes do embargo russo às importações de carnes dos Estados Unidos e da Europa, também contam a favor do movimento altista no mercado doméstico. (Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br)

Demanda eleva preço da carne de frango

Os preços da carne de frango estão em alta neste início de agosto. Segundo pesquisadores do Cepea, esse cenário é resultado do bom desempenho das exportações de julho, dos patamares elevados de preços das carnes concorrentes (suína e bovina) e o período de início de mês, quando a demanda tende a ser maior (recebimento dos salários). Além disso, a oferta de animais para abate segue relativamente restrita. Em relação às exportações brasileiras de carne de frango, voltaram a crescer em julho, após caírem no mês anterior, atingindo o segundo maior volume mensal da série histórica. Foram 337,2 mil toneladas do produto in natura enviadas ao exterior em julho/14, forte aumento de 20,5% em relação ao mês anterior e de 8,3% sobre igual período do ano passado, segundo dados da Secex. (Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br)
(Redação – Agência IN)

Assinar este feed RSS