Mercado de FIDC deve continuar avançando em 2019

Depois de fechar o ano de 2018 com captação líquida positiva, superando pela primeira vez na história a marca de R$102 bilhões em patrimônio, o mercado de FIDC deve continuar avançando neste ano. As emissões desse tipo de fundo apresentaram no primeiro trimestre um forte volume, o equivalente a R$ 24,7 bilhões, segundo dados da consultoria Uqbar. Se comparado com o mesmo período do ano passado, isso representa crescimento de 125%.

Indústria brasileira de fundos capta R$ 43,9 bilhões entre 1º e 17 de maio

A indústria brasileira de fundos de investimento captou R$ 43,9 bilhões entre os dias 1º e 17 de maio, de acordo com as estatísticas da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais). O destaque do período é da classe de Renda Fixa, cujos fundos registraram ingressos líquidos de R$ 22,4 bilhões. No ano, até 17 de maio, a indústria de fundos acumula captação líquida de R$ 85,1 bilhões.

(Redação - Investimentos e Notícias)

Investimentos dos brasileiros chegam a R$ 2,98 tri no 1º trimestre

Os investimentos dos brasileiros em produtos financeiros alcançaram R$ 2,98 trilhões no primeiro trimestre de 2019. De acordo com os dados da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), o volume cresceu 2,4% em relação ao fim de 2018 e 8,7% na comparação a março do mesmo ano. O total representa as aplicações de mais de 74 milhões de contas dos segmentos de varejo e de private banking das instituições do país.

Indústria brasileira de fundos tem resgates líquidos de R$ 8,5 bilhões

A indústria brasileira de fundos de investimento teve resgates líquidos de R$ 8,5 bilhões entre os dias 1º e 10 de maio, de acordo com as estatísticas da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais). No ano, até 10 de maio, a indústria de fundos acumula captação líquida positiva de R$ 32,9 bilhões.

(Redação - Investimentos e Notícias)

Tesouro Direto paga R$ 9 bi em vencimento de título

O Tesouro Direto paga hoje (15) o maior valor em vencimento de títulos públicos da história do programa, criado em 2002. De acordo com o Tesouro Nacional, serão pagos cerca de R$ 9 bilhões a aproximadamente 122 mil investidores, devido ao vencimento do título Notas do Tesouro Nacional série B (NTN-B), conhecido como IPCA+ 2019.

Fintechs na vanguarda de uma nova cultura de investimentos no Brasil

Recentemente, o Banco Central publicou uma regulação das fintechs de crédito no país, que também englobou os serviços de crédito entre pessoas físicas. A iniciativa foi, sem dúvida, um grande avanço para o setor, mas é preciso avançar mais para estimular os investimentos no país. É necessário que o Banco Central fique atento aos movimentos de mercado dos grandes bancos de varejo, para assim proteger os investidores, especialmente, aqueles com perfil da caderneta de Poupança – categoria onde se encontra a maioria dos brasileiros, de acordo com a segunda edição da pesquisa Raio X do Investidor Brasileiro, realizada pela ANBIMA com o apoio do Datafolha.

Bancos centrais e os ETFs aumentam a demanda do ouro no 1T19

A demanda global pelo ouro cresceu para 1.053,3 t, no primeiro trimestre de 2019, um aumento de 7% em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com o último relatório de Tendências da demanda do ouro do World Gold Council. Este aumento ano a ano se deveu, em grande parte, ao crescimento contínuo nas compras dos bancos centrais, bem como ao crescimento dos fundos negociados em bolsa (ETFs) apoiados pelo ouro.

Assinar este feed RSS