Consumidor deve gastar mais neste Natal, diz FGV

O consumidor continua recuperando o ânimo para gastar, mas ainda abaixo do nível de três anos atrás. Foi o que apontou a pesquisa da Sondagem do Consumidor, feita pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE) para este Natal. Dos 1869 entrevistados, 46,8%, em média, declararam estar dispostos a desembolsar o mesmo que em 2016. O percentual é quase similar ao de pessoas que pretendem gastar menos (46,5%). Apenas 6,7% afirmaram que comprariam em 2017 mais do que ano passado.

Ebit estima vendas de R$8,7 bi no e-commerce para o Natal

O e-commerce deverá faturar R$8,7 bilhões no Natal de 2017, crescimento nominal de 13% ante ao mesmo período do ano anterior, aponta a Ebit, empresa referência em informações sobre o comércio eletrônico brasileiro. O número de pedidos deve crescer 11%, de 16,6 milhões para 18,4 milhões, enquanto o tíquete médio apresentará uma tímida elevação de 2%, de R$463 para R$471.

E-commerce deve vender mais que lojas físicas no Natal

O Natal costuma ser a segunda maior data de vendas para o e-commerce, ficando atrás apenas da Black Friday. De acordo com as projeções da Infracommerce, empresa líder em full service para e-commerce na América Latina, o segmento possui uma expectativa de crescer 12% em relação ao mesmo período do ano anterior. E em 2017, uma curiosidade: 40% dos consumidores deverão realizar as compras de Natal na internet, de acordo com o levantamento do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), enquanto 37% das pessoas devem concentrar as compras em lojas físicas.

Natal fez varejo paulista criar 15.772 empregos formais

Pelo segundo mês consecutivo, o comércio varejista do Estado de São Paulo abriu mais postos de trabalhos formais do que fechou. Em novembro, foram criados 15.772 empregos, resultado de 83.439 admissões e 67.667 desligamentos. Com o resultado, o varejo encerrou o mês com estoque total de 2.088.016 trabalhadores, queda de 2,5% na comparação com o mesmo mês de 2015. Esse saldo positivo é superior em 2.090 empregos formais ao registrado em novembro de 2015, quando foram criados 13.682 postos de trabalho. Tradicionalmente, o mês registra saldo positivo no mercado de trabalho, pois é a época que o varejo se prepara para as vendas do Natal. Porém, em 2015, o setor havia registrado o pior saldo desde 2007 e se recuperou um pouco em 2016, mas ainda longe do terceiro pior resultado da série apurado em 2008, quando foram abertas 18.300 vagas.

Vendas em supermercados caíram 7% no Natal

As dificuldades da economia em 2016 se refletiram na ceia de Natal do brasileiro. Em dezembro, mês típico de altas vendas, o varejo supermercadista apresentou retração de 7% em unidades vendidas em relação ao mesmo período de 2015, segundo levantamento realizado pela NeoGrid/Nielsen, que reuniu informações de mais de 100 redes de varejos de todo o Brasil.

Fique de olho nas liquidações pós-Natal

Após o Natal muitas lojas realizam saldões com ofertas de produtos que sobraram em seus estoques. Para aqueles que desejam aproveitar essas liquidações, a Fundação Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo, tem algumas dicas.

FecomercioSP estima queda de R$ 2,1 bi nas vendas do varejo na semana do Natal

De acordo com dados da Boa Vista SCPC, as vendas do comércio varejista brasileiro na semana que antecede o natal caíram 4,8% na comparação com o mesmo período do ano passado. O cálculo é feito a partir das consultas realizadas no banco de dados da Boa Vista SCPC, com abrangência nacional. Foram consideradas as consultas realizadas no período de 18 a 24 de dezembro de 2016 comparado com 18 a 24 de dezembro de 2015.

Assinar este feed RSS