Demanda interrompe queda nos preços de ovos

Os preços dos ovos têm subido no mercado brasileiro, interrompendo o movimento de queda verificado desde o fim de agosto. Segundo pesquisadores do Cepea, o principal motivo foi a maior demanda, impulsionada pelo típico aumento das vendas em início de mês (recebimento dos salários). 

Preços dos ovos ficaram menores em setembro

A oferta superior à procura levou os patamares de preços em setembro/14 a ficarem abaixo dos praticados no mesmo período do ano anterior. Considerando-se o ovo vermelho, a retirar em Bastos (SP), a desvalorização foi de 21% na comparação com setembro/13, com a média passando para R$ 50,79/cx. Neste início de outubro, os preços dos ovos tiveram novas quedas na maioria das regiões pesquisas pelo Cepea. Para o tipo extra, branco, porém, as desvalorizações foram menos intensas que as verificadas nas semanas anteriores. Isso porque, segundo agentes do setor, a oferta de ovos de tamanhos maiores está um pouco mais restrita e o período de início de mês contribui para dar um pouco mais de liquidez ao mercado. Segundo pesquisadores do Cepea, apesar desse cenário, os fundamentos ainda são predominantemente de baixa, tendo em vista que a produção vem aumentando nesta estação (primavera). No caso dos ovos vermelhos, a entrada do produto caipira vem, inclusive, pressionando com mais força as cotações. (Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br)

(Redação – Agência IN)

Preços dos ovos têm novas quedas

Com oferta ainda superior à demanda, os preços dos ovos tiveram novas quedas no correr dos últimos dias. Para o vermelho, que tem a concorrência ampliada com os ovos caipiras neste período do ano, as desvalorizações chegaram a 8,7% entre 19 e 26 de setembro, a retirar na região de Guararapes/Mirandópolis (SP). Além disso, segundo agentes consultados pelo Cepea, os descartes de galinhas vermelhas estão ocorrendo em ritmo menor se comparados aos das brancas, resultando em volume maior de ovos vermelhos no mercado. Do lado da demanda, o consumo foi baixo devido ao final do mês, o que reforça as desvalorizações. (Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br)

(Redação – Agência IN)

Maior produção reforça movimento de queda nos preços dos ovos

O mercado de ovos segue pressionado nesta segunda quinzena de setembro. Segundo pesquisadores do Cepea, além da oferta elevada (maior produção devido à primavera e à entrada de ovos caipira), a típica retração da demanda nesse período do mês reforçou as desvalorizações. O maior volume de ovos produzido neste ano, em relação aos anteriores, também tem influenciado as quedas. Além disso, os descartes de poedeiras mais velhas têm ocorrido, ainda que lentamente, desde o fim de agosto. Essa prática eleva a oferta de ovos de tamanhos menores, o que acaba pressionando também os valores dos maiores (extra). Entre 12 e 19 de setembro, o ovo tipo extra, branco, para retirar em Bastos (SP) se desvalorizou 3,7%, com a caixa com 30 dúzias passando para a média de R$ 43,84 nesta sexta-feira, 19. (Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br)

(Redação – Agência IN)

Ovos se mantêm desvalorizados

Nem mesmo a continuidade dos descartes de poedeiras mais velhas tem sido suficiente para enxugar a oferta de ovos no correr de setembro e sustentar os preços. Além disso, a proximidade da primavera vem refletindo no maior volume de produção. Por outro lado, segundo alguns agentes consultados pelo Cepea, os baixos preços do milho e do farelo de soja acabam limitando os descartes em algumas regiões. Com os insumos mais baratos, parte dos avicultores de postura opta por manter as poedeiras nas granjas. Também se observa uma quantidade maior de ovos de tamanho menor em algumas regiões pesquisadas pelo Cepea. Para os ovos vermelhos, além da concorrência via preços menores com os ovos brancos, a produção crescente do produto caipira reforça a pressão sobre os valores. A maior liquidez para alguns produtores (devido ao período de início de mês) também não gerou reações de preços. (Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br)

(Redação – Agência IN)

Cotações de ovos seguem em queda mesmo em início de mês

Os preços dos ovos registraram novas quedas nos últimos dias, mesmo com o típico aquecimento da demanda em início de mês (recebimento de salários). No curto prazo, agentes consultados pelo Cepea não acreditam em reações dos valores, tendo em vista a previsão de oferta elevada característica de setembro – além da maior produção por conta da Primavera, há a entrada da oferta de ovos caipiras. Mesmo com a intensificação dos descartes de poedeiras mais velhas na maioria das regiões pesquisadas pelo Cepea e alguns comentários pontuais de diminuição na oferta de ovos maiores, o mercado ainda está bastante ofertado, principalmente no estado de São Paulo. Em algumas regiões, chega a sobrar ovos, segundo relatam colaboradores do Cepea. Mesmo nas praças onde a oferta se encontra relativamente justa à demanda, as cotações acabam pressionadas pelas baixas de preços nas demais. (Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br)

(Redação – Agência IN)

Preço dos ovos chega a cair 20% em agosto

Pressionadas pela oferta elevada e pela demanda ainda enfraquecida, as cotações dos ovos caíram com mais força no final de agosto – no acumulado do mês, a baixa chegou a 20% em algumas praças. Nesse cenário, produtores consultados pelo Cepea começam a descartar poedeiras mais velhas – alguns vêm antecipando a prática –, na tentativa de evitar futuras sobras. As quedas de preços têm sido ainda maiores para os ovos vermelhos. Além da pressão vinda dos brancos, a entrada de ovos caipiras no mercado reforça a concorrência. Para as próximas semanas, o cenário deve se manter desfavorável ao produtor. Apesar do início de mês, quando as vendas costumam ser maiores, a proximidade da primavera tende a elevar a produção de ovos, por conta dos dias mais longos. O ovo tipo extra, vermelho, a retirar em Guararapes/Mirandópolis (SP), foi negociado a R$ 57,87/cx na sexta-feira, 29, queda de 10,2% em sete dias e de 20,6% no mês. (Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br)

(Redação – Agência IN)

Assinar este feed RSS