Terra Santa Agro tem lucro líquido de R$ 11,8 milhões

  •  
Terra Santa Agro tem lucro líquido de R$ 11,8 milhões Foto: Divulgação

A Terra Santa Agro (TESA3, listada em Novo Mercado da B3) anunciou hoje, 19, um lucro líquido de R$ 11,8 milhões no primeiro trimestre deste ano. Segundo a empresa, o resultado reverteu o prejuízo líquido de R$ 5,3 milhões registrado no mesmo período de 2019.

De acordo com a companhia agrícola, os destaques no resultado são, principalmente, a maior produtividade e lucratividade da soja 19/20 quando em comparação com a safra 18/19; a não reciclagem de hedge accounting para o 1T20, como aconteceu no 1T19; e os impactos positivos da desvalorização cambial no faturamento do algodão e de seu estoque de passagem.

O Conselho de Administração da Terra Santa Agro deliberou, em fevereiro de 2019, pela interrupção da designação de novos instrumentos financeiros na política de hedge accounting. Desde então, as variações cambiais incorridas sobre dívidas contratadas após essa data são contabilizadas diretamente a resultado do período.

Sobre o endividamento financeiro da Terra Santa Agro, a companhia notificoua um aumento de 23% em real, passando de R$ 829,7 milhões em 31 de dezembro de 2019 para R$ 1 bilhão em 31 de março de 2020, reflexo da desvalorização cambial no trimestre que impacta diretamente a dívida em dólar da Companhia, que representa 93% do total.

O aumento da dívida em real já era esperado, visto os movimentos do câmbio e ao fato da massiva parte das despesas da empresa (sobretudo de curto prazo) serem dolarizadas. A dívida em dólar, no entanto, se mantém estável ao longo dos trimestres.

Já o endividamento total ajustado (considerando dívidas com clientes, fornecedores e governo), no comparativo 1T19 e 1T20, apresentou uma queda de 9% em, passando de US$ 284 milhões em 31 de março 2019 para US$ 258,5 milhões em 31 de março de 2020.

A Terra Santa Agro afirmou que tem mantido a produtividade de soja superior em (no mínimo) 3 sacas/hectare, quando comparada à média do estado do Mato Grosso. Para a safra 2019/20 observa-se que a estimativa de produtividade final da Companhia será 7% superior à média do estado (conforme divulgada no Boletim de Soja do IMEA em 05/05/2020).

O início da colheita de algodão de 1ª safra está previsto para 30 de junho e o de 2ª safra para 05 de julho.

O potencial para produtividade do milho era de 6.870 kg/ha (114,5 scs/ha). No entanto, diante dos altos índices de chuvas ocorrido nos primeiros 30 dias da cultura que geraram perda de eficiência do fertilizante nitrogenado aplicado em cobertura por lixiviação e ao déficit hídrico ocorrido em algumas regiões, a estimativa atual de produtividade é de 6.690 kgs/ha (111,2 scs/ha).

(Redação - Investimentos e Notícias)