Volatilidade define viagens no Setor de Energia, Recursos e Marinha em 2017

  •  
CWT lança estudo "2017 Energy, Resources and Marine Forecast" Foto: Divulgação CWT lança estudo "2017 Energy, Resources and Marine Forecast"

Impulsionado pela combinação de um leve crescimento nos preços de petróleo, crescimento mínimo em economias maduras e emergentes, e aumentos em recursos de energia alternativa e renovável, 2017 será um ano volátil para viagens no setor de energia, recursos e marinha.

Estas são as descobertas principais do estudo denominado “2017 Energy, Resources and Marine Forecast”, da Carlson Wagonlit Travel, lançado essa semana. A previsão anual fornece a compradores de viagens, dados abrangentes para planejar e moldar orçamentos para o próximo ano.

“Há movimentos econômicos que terão impacto significativo em viagens na indústria de energia, recursos e marinha,” disse Raphael Pasdeloup, senior vice president, global program solutions, CWT Energy, Resources & Marine. “Esperamos que haja algum crescimento, mas conforme dados mostrados no relatório, haverá também volatilidade. Gestores de viagens precisam compreender como estas pressões impactarão seus programas de viagens, para manterem-nos eficientes e em conformidade.”

Nos Estados Unidos, viagens aéreas permanecerão constantes, sem demonstrar crescimento ou encolhimento, em 2017. Outras áreas das Américas estão propensas a permanecer estáveis, mas devem presenciar volatilidade de preços com operadoras regionais sendo agressivas em sua precificação.

Enquanto diárias e tarifas em hotéis devem permanecer inalteradas ou mesmo diminuir globalmente, as Américas estão propensas a presenciar um pequeno aumento nas tarifas de hotéis devido à consolidação da indústria.

Na China, tarifas aéreas devem aumentar em 2017. Todavia, o mercado da Ásia Pacífico, em geral, deve permanecer estável, uma vez que as operadoras de baixo custo continuam a desempenhar um impacto.

Na Europa e Oriente Médio, é esperado que preços de aéreo permaneça fixo ou sofra leve diminuição.

Raphael Pasdeloup concluiu, “Gestores de viagens possuem diversas opções para melhorar suas aquisições em 2017. Uma revisão trimestral de seu gasto com aéreo pode ajudá-los a negociar melhores tarifas com as companhias aéreas. Gestores de viagens devem também considerar aproveitar as tarifas mais baixas ou estáveis em hotéis para negociar acordos de mais longo prazo.

(Redação - Agência IN)