Quase metade da população brasileira é sedentária

Quase metade da população brasileira é sedentária Foto: Divulgação Quase metade da população brasileira é sedentária

O Ministério do Esporte adverte: o Brasil tem 45,9% da população sedentária. São 67 milhões de pessoas que não fazem atividade física ou praticam esporte. O problema é mais comum entre as mulheres. Como o incentivo aos exercícios deve começar cedo, o Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) declarou que os esportes são fundamentais para o desenvolvimento das crianças, pois aumentam a capacidade de aprendizagem, e proporcionam benefícios como estimular as percepções, a expressão, o raciocínio e a criatividade.

Nas unidades da escola de Educação Infantil CEAV Jr., os alunos são logo incentivados a praticar exercícios físicos: são oferecidas aulas de judô, capoeira e balé para crianças de 1 a 6 anos. A capoeira é atividade mista. O professor Alisson Sintra, ou mestre Bambu, destaca os benefícios do esporte para quem está na Educação Infantil:

“Trabalhamos mais o lado lúdico da luta, porque essa é uma parte importante para as crianças. Conduzimos para uma área em que podemos trabalhar a amizade. A partir de um ano de idade já introduzimos a capoeira, porque ela vai trabalhar com o alongamento dos alunos, a lateralidade. Os movimentos são adaptados às faixas etárias, e o grau de dificuldade vai aumentando junto com a idade”, explica Alisson.

Pandeiro, bambolês, cordas e cones. Com esses objetos os alunos aprendem a atividade em clima de muita descontração. Mestre Bambu explica que os movimentos são ensinados por meio de associação com os animais, e a proposta é que os alunos, sobretudo os mais novos, imitem, por exemplo, o andar de girafas ou de elefantes. Em relação aos aspectos físicos, a capoeira oferece: resistência aeróbica e anaeróbica, velocidade, flexibilidade, resistência muscular, aumento de reflexos, agilidade, equilíbrio, coordenação e ritmo.

Para os pequenos capoeiristas, a experiência ainda aumenta o interesse pela musicalidade. Carolina Lobo, uma das alunas do mestre Bambu no CEAV Jr., diz que gosta “muito das músicas da capoeira e de gingar”.

De acordo com Silvana Emília Ferreira, diretora pedagógica do CEAV Jr., a capoeira na Educação Infantil contribui para a transmissão de valores como respeito, regras e limites, além de estimular a aceitação da vitória ou da derrota.

“O esporte também é um meio eficaz de complemento ao ensino e uma forma eficiente de aumentar o interesse e o desempenho na escola”, garante Silvana.

(Redação - Agência IN)