CSU registra lucro líquido de R$ 11,2 milhões no 2T20

Mesmo diante de um cenário desafiador, a CSU, empresa líder no mercado brasileiro de prestação de serviços de alta tecnologia voltados ao consumo, relacionamento com clientes, processamento e transações eletrônicas, encerrou o segundo trimestre de 2020 com evolução positiva de suas margens e principais indicadores financeiros. Registrando EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 31,3 milhões - crescimento de 38,6% em relação ao 2T19 - a Companhia reportou um Lucro Líquido de R$ 11,2 milhões, expansão de 142,8% na comparação anual e de 20,4% em relação ao último trimestre (1T20).

Sinqia acelera na pandemia e registra recordes no 2T20

A Sinqia (B3: SQIA3), principal provedora de tecnologia para o sistema financeiro, anuncia seus resultados do segundo trimestre de 2020. Diante de um cenário desafiador, mas que também acelerou as buscas por serviços de inovação e transformação digital, a Companhia reportou novos recordes, com receita líquida de R$ 49,6 milhões, crescimento de 17,5%, e EBITDA ajustado de R$ 7,4 milhões, aumento de 44,8% sobre igual trimestre de 2019.

Gafisa atinge 8,8% em índice de alavancagem no 2T20

Mesmo diante dos desafios impostos pela pandemia da COVID-19, a Gafisa, referência brasileira no mercado imobiliário, segue focada em seu novo ciclo de crescimento e reportou neste 2T20 indicadores positivos em relação ao trimestre anterior, sinalizando mais otimismo. De acordo com os resultados financeiros divulgados ontem (11), entre os meses de abril e junho, a companhia permaneceu com uma margem bruta acima de 35%, sem custo financeiro, assim como a margem Resultados a Apropriar (REF), o que indica que a companhia está sob níveis saudáveis, permitindo uma melhora sustentada e consistente.

Eternit registra lucro líquido de R$ 12,6 milhões no 2T20

A Eternit - companhia fundada há 80 anos especializada no fornecimento de matérias-primas, produtos e soluções para o setor de construção civil - registrou lucro líquido de R$ 12,6 milhões no 2º trimestre de 2020, revertendo os prejuízos de R$ 29,5 milhões no mesmo período de 2019, e de R$ 14,9 milhões no 1º trimestre de 2020. 

Banco BV tem lucro líquido ajustado de R$ 248 milhões no 2T20

O Banco BV, um dos maiores bancos do Brasil, encerrou o segundo trimestre de 2020 com lucro líquido de R﹩ 222 milhões, e lucro ajustado pelo evento extraordinário da doação realizada para apoio no combate ao COVID de R﹩ 248 milhões. No período, o destaque foi a retomada da demanda por financiamento de veículos, mercado em que o BV é um dos líderes. Após uma forte retratação no fim de março, a atividade voltou a subir a partir de abril e ao final de junho já apresentava níveis equivalentes ao mesmo período de 2019. Com um portfólio diversificado de negócios, a carteira de crédito cresceu 11% nos últimos 12 meses, encerrando o 2T20 em R﹩ 68,8 bilhões, com expansão tanto no Varejo como no Atacado.

Braskem registra Ebitda de R$ 1,66 bilhão no 2T20

A Braskem registrou Ebitda recorrente de R$ 1,66 bilhão no segundo trimestre, um resultado 26% maior que o do trimestre anterior e 2% superior ao do mesmo período do ano passado em função da depreciação do real frente ao dólar. Em dólares, o Ebitda de US$ 310 milhões foi 5% superior ao do primeiro trimestre, mas 25% inferior ao do segundo trimestre de 2019. 

PetroRio registra Ebitda ajustado de R$ 306 mi no 2T20

A PetroRio, maior companhia independente de petróleo do país, alcançou, no segundo trimestre de 2020, resultados favoráveis, com aumento da produção de óleo e redução de custos operacionais. Apesar do cenário desafiador, o EBITDA Ajustado (incluindo hedge) no período atingiu R$ 306 milhões, com alta de 5% na comparação com o segundo trimestre de 2019. Nos seis primeiros meses do ano, a rubrica ficou em R$ 545,3 milhões, um crescimento de 75% frente a igual período de 2019.

CESP registra receita líquida de R$ 486 milhões no 2T20

A CESP - Companhia Energética de São Paulo anunciou que no segundo trimestre de 2020 a companhia obteve crescimento de 32% na receita operacional líquida em relação ao mesmo período de 2019, atingindo R$ 486 milhões, principalmente pela sazonalização de energia vendida, operações de trading pela CESP Comercializadora, e maior receita advinda da indexação dos contratos de venda de energia.

Assinar este feed RSS