Crianças com diabetes receberão no SUS medicamento mais moderno

As crianças portadoras de diabetes tipo 1 terão à disposição no Sistema Único de Saúde (SUS) um dos mais modernos medicamentos para o tratamento da doença: a insulina análoga. Em alusão ao Dia das Crianças, comemorado no próximo dia 12, o Ministério da Saúde anunciou, nesta quarta-feira (11/10), que irá investir R$ 135 milhões, por ano, na compra do novo insumo. A expectativa é que o medicamento esteja disponível já em 2018. A nova aquisição será uma importante ferramenta na melhora da qualidade de vida de 100 mil crianças com maior dificuldade de controle da doença.

  • Publicado em Saúde

Lote de genérico para diabetes é suspenso

A Anvisa determinou a suspensão da distribuição, comercialização e uso do lote 1614707 do medicamento genérico Glimepirida, 4 mg, fabricado pela empresa Cimed Indústria de Medicamentos. O produto é indicado para o tratamento de diabetes mellitus não insulino-dependente (Tipo 2 ou diabetes do adulto).

  • Publicado em Saúde

Pesquisa revela que diabetes no Brasil cresce 61,8% em dez anos

O número de brasileiros diagnosticados com diabetes cresceu 61,8% nos últimos 10 anos, passando de 5,5% da população em 2006 para 8,9% em 2016. A pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), divulgada hoje (17) pelo Ministério da Saúde, revela ainda que as mulheres registram mais diagnósticos da doença - o grupo passou de 6,3% para 9,9% no período, contra índices de 4,6% e 7,8% registrados entre os homens.

  • Publicado em Saúde

Diabetes é considerada a maior causa de amputações no Brasil

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 70% das amputações realizadas no Brasil são decorrentes do diabetes e 85% por conta de feridas nos membros inferiores, o que representa em torno de 55 mil amputações por ano. Vale ressaltar que a cada um minuto, três pessoas são amputadas no mundo decorrente do diabetes. Motivo mais que especial para que os pés sejam sempre bem tratados. “As pessoas com diabetes precisam ter atenção dobrada. Complicações, como o pé diabético, podem ser evitadas com prevenção. A diabetes é uma doença complexa, que a sociedade precisa se conscientizar sobre seus sintomas e consequências”, explica o ortopedista Fábio Batista, especializado em pés diabéticos, salvamento funcional de membros em feridas complexas. 

  • Publicado em Saúde

Diabetes também prejudica a qualidade da visão

Cuidar dos olhos deve ser um hábito frequente, mas quem tem diabetes precisa ter atenção redobrada. De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, as pessoas com a doença têm 60% mais chances de potencializar problemas oculares como o glaucoma, por exemplo. Além disso, estão mais suscetíveis a desenvolverem retinopatia diabética, patologia que pode prejudicar seriamente a visão, resultando até em cegueira, nos casos mais graves.

  • Publicado em Saúde

Risco de cegueira preocupa apenas 10% da população que tem contato com diabetes

Apenas 10% dos brasilienses que têm diabetes ou possuem algum caso na família se preocupam com o risco de perder a visão. É o que aponta uma pesquisa conduzida pela Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo (SBRV), em parceria com a Bayer, que analisou o grau de percepção da população com relação às complicações oculares ocasionadas pela doença. A pesquisa foi feita em oito capitais brasileiras: Belo Horizonte, Curitiba, Rio de Janeiro, Recife, Porto Alegre, São Paulo, Brasília e Salvador, com 4 mil pessoas.

  • Publicado em Saúde

Chia ajuda no combate do diabetes e prevenção de doenças

Um estudo do Departamento de Alimentos e Nutrição da Unicamp, em Campinas (SP), revelou os benefícios da fruta contra o câncer, diabetes e, pela primeira vez, descobriu a possibilidade de enfrentar o Alzheimer. Segundo os pesquisadores, a chia tem um poder antioxidante, que possibilita a prevenção do envelhecimento precoce das células.

  • Publicado em Saúde

Insulina Tresiba® é aprovada para tratamento do diabetes tipo 1 em crianças a partir de um ano

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a revisão de bula da insulina degludeca Tresiba® e, agora, o medicamento pode ser administrado em crianças com diabetes tipo 1 a partir de um ano de idade. A atualização representa uma nova opção de tratamento, já que todas as outras opções de análogos de insulina basal disponíveis no mercado são indicadas para crianças com pelo menos dois anos de idade. Tresiba® é fabricada pela farmacêutica dinamarquesa Novo Nordisk.

  • Publicado em Saúde
Assinar este feed RSS