Avanço da safra reduz preço do leite pelo 2º mês

O avanço da safra em grande parte do Brasil, que eleva a produção e a captação de leite pelas indústrias, e a persistente fraca demanda nacional pressionaram os valores pagos ao produtor em outubro pelo segundo mês seguido. Segundo pesquisas do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP, o preço médio recebido pelo produtor na “média Brasil” (sem frete e impostos) foi de R$ 1,3961/litro no mês, forte baixa de 8,5% (ou de 13 centavos/litro) em relação a setembro.

Fraca demanda derruba preço do leite após 7 meses de alta

Após subir por sete meses seguidos e atingir recordes reais, o preço do leite ao produtor caiu em setembro. Além do aumento na captação, observado na maioria dos estados pelo terceiro mês, a fraca demanda interna foram os principais motivos das quedas nos valores. Segundo pesquisas do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP, o preço médio recebido pelo produtor na “média Brasil” (sem frete e impostos) foi de R$ 1,5257/litro, redução de 3,2% (ou de 5,1 centavos) em relação a agosto. Mesmo com a queda, a cotação ainda acumula alta de 50,8% no ano, em termos reais (valores deflacionados pelo IPCA de agosto/16). O preço bruto médio do leite (que inclui frete e impostos) também caiu 3,2% de um mês para outro, passando para R$ 1,6377/litro em setembro. As médias calculadas pelo Cepea são ponderadas pelo volume captado em agosto nos estados de GO, MG, PR, RS, SC, SP e BA.

Agricultores familiares buscam orientações para melhorar qualidade do leite

O secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, afirmou a produtores de Pindamonhangaba, que a Pasta tem buscado intensificar as ações na pecuária de leite, com foco no aumento da produtividade e na agregação de renda para o produtor paulista. “A pecuária de leite é uma das atividades prioritárias para a Pasta, estamos terminando de montar uma equação, pois esta atividade tem uma importância estratégica para a região e para grande parte dos municípios”, ressaltou o secretário durante o evento do Programa de Sanidade em Agricultura Familiar (Prosaf): Qualidade do Leite, realizado no dia 1º de setembro de 2016, no Polo Regional da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta) do Vale do Paraíba.

Preço ao produtor de leite atinge novo recorde

O valor médio bruto pago ao produtor (que inclui frete e impostos) atingiu R$ 1,6928/litro em agosto, novo recorde, em termos reais, considerando-se toda a série histórica do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP, iniciada em janeiro de 2000. Essa média de agosto, ponderada pelo volume captado nos estados de GO, MG, PR, RS, SC, SP e BA, superou em quase 13% o valor até então recorde de julho/16 e esteve 54,4% acima do de agosto/15, em termos reais (valores foram deflacionados pelo IPCA de julho/16). Pesquisadores do Cepea alertam que essa tendência, no entanto, pode ser alterada no próximo mês, já que os estoques nas indústrias e a captação de leite vêm aumentando.

Preço do leite ao produtor atinge recorde real

A baixa oferta de leite no campo segue impulsionando o valor ao produtor e também dos derivados no atacado. Em julho, o valor médio bruto pago ao produtor (que inclui frete e impostos) foi de R$ 1,4994/litro, alta expressiva 12,9% em relação a junho/16 e de 30,7% frente a julho/15, segundo pesquisas do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP. Essa é a maior média real da série do Cepea, iniciada em 2000 (valores foram atualizados pelo IPCA). O valor atingido em julho surpreendeu agentes do mercado leiteiro, visto que ultrapassou os históricos patamares elevados verificados em 2013, ano de demanda aquecida. Estas médias são ponderadas pelo volume captado nos estados de GO, MG, PR, RS, SC, SP e BA.

Feijão, manteiga e leite elevam o custo da cesta básica

Em junho, o custo do conjunto de alimentos básicos aumentou em 26 das 27 capitais do Brasil, de acordo com a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE).

Preços do Leite UHT e Muçarela atingem máximas históricas em maio

A Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) analisaram o cenário do setor leiteiro e, ainda, os principais fatores que levaram os indicadores a registrar as maiores altas da história para o mês de maio. A notícia que se tem é: o ano de 2015 foi marcado por grandes dificuldades para o setor de leite no país.

Assinar este feed RSS