Novas empresas de tecnologia vão ter regime tributário diferenciado

  •  
Novas empresas de tecnologia vão ter regime tributário diferenciado Divulgação

Está em processo de análise pela Câmara dos Deputados a proposta que traz um regime tributário diferenciado para novas empresas de tecnologia. Desta forma, é possível que tais companhias se tornem isentas dos impostos federais.

Um exemplo disto é que as startups, por um período de dois anos, ficarão isentas de alguns tributos, podendo ocorrer a prorrogação por mais dois, desde que apresentem uma receita bruta por trimestre de até R$ 30 mil e de no máximo quatro empregados.
Para o especialista do setor fiscal da Prolink Contábil, que atua na gestão fiscal e contábil, Robison Chan Tong, as empresas que forem beneficiadas com as novas regras poderão fazer a opção pelo Supersimples assim que terminar o período de enquadramento no Sistema de Tratamento Especial a Novas Empresas de Tecnologia (Sistenet), ou até mesmo a qualquer momento em que houver a ultrapassagem no limite de faturamento deste regime.
Dentre as companhias que poderão se beneficiar com a lei estão às dos setores: serviços de e-mail, hospedagem e desenvolvimento de sites e blogs; comunicação pessoal, redes sociais, mecanismos de busca e divulgação publicitária na internet; distribuição ou criação de software original por meio físico ou virtual para uso em computadores ou outros dispositivos eletrônicos; desenho de gabinetes e desenvolvimento de outros elementos de hardware de computadores, tablets, celulares e outros dispositivos de informática; atividade de pesquisa ou desenvolvimento de ideia inovadora com modelo de negócios baseado na internet e nas redes telemáticas.

(Redação- Agência IN)