Economia, Finanças e Negócios | Investimentos e Notícias!

           | 

Back Home

Mercado da construção civil deve fechar 2012 com crescimento de 2%

E-mail Imprimir PDF

As vendas da indústria de materiais de construção não atenderam as expectativas iniciais e devem terminar o ano passado com aumento de apenas 2% em relação a 2011, os dados oficiais só serão divulgados pela Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat), no final deste mês. Durante o ano o setor viu a previsão de crescimento, que era de 4,5% no início de 2012, ser reduzida por duas vezes.

Algumas empresas do segmento por outro lado, aproveitaram este momento para se superar e criar oportunidade para crescer, como foi no caso da Cimentolit, fabricante de argamassas e rejuntes, que apostou em melhorias e novos mercados, o que resultou ao final do período em um aumento de mais de 30% no volume de vendas. Para o gerente comercial, Bruno Badan, o crescimento da empresa se deve a diversos fatores como o lançamento de novos produtos para atender as tendências do mercado de revestimentos, as melhorias no atendimento aos clientes e os investimentos no programa de capacitação de mão de obra qualificada, que nos últimos dois anos, já orientou mais de três mil profissionais da construção civil.

“Estamos encerrando 2012 acima do crescimento previsto para o setor. A Cimentolit buscou andar na contramão das notícias do segmento. Enquanto ouvíamos sobre desaceleração, conquistamos mais de 400 novos clientes nos estados de São Paulo e Paraná, sem contar o avanço de nossa marca por toda a região Sul, Sudeste e pelo Mercosul. Permanecemos com o planejamento de trabalho traçado ao final de 2011 e continuaremos a implantar nossas ações; a tendência é manter o crescimento e continuar explorando novos mercados em 2013”, ressaltou Badan. Para esse ano a Cimentolit prevê um mercado mais aquecido do que em 2012.

A Abramat também mantém a expectativa positiva e acredita que os investimentos em obras de infraestrutura e visando a Copa do Mundo vão alavancar as vendas do segmento.  

(Redação – Agência IN)