Carros blindados desvalorizam mais que os comuns, aponta WebMotors

  •  
Carros blindados desvalorizam mais que os comuns, aponta WebMotors Divulgação

A falta de segurança é um dos fatores que impulsionam o investimento em um carro blindado no Brasil. De acordo com a Associação Brasileira de Blindagem (Abrablin), em 2013, 10.156 veículos foram adaptados, o que mostra uma alta de 21,1% em relação a 2012. Mesmo com o aumento na procura pela proteção, os modelos blindados desvalorizaram mais que os comuns. Levantamento realizado pelo Índice WebMotors mostrou que enquanto os não blindados obtiveram depreciação de 15,3%, os blindados tiveram uma queda de 16,9%. Uma variação média de, 10,8% nos últimos dois anos.

Um dos motivos da discrepância é o fato de os blindados não serem produzidos de fábrica, o que os faz perder garantia depois de passar pela adaptação. Além disto, a manutenção do veículo é bastante alta, o que contribui para sua desvalorização.
De acordo com a análise realizada pelo WebMotors, portal brasileiro que atua no setor automotivo, alguns modelos que apresentaram diferenças significativas entre blindados e não blindados podem ser citados como exemplos. O VolksWagen Jetta 2.0 TSI Highline, ano/modelo 2012, equipado com câmbio automático, era comercializado, por R$ R$ 136.912,00, em média. Atualmente, por R$ 109.717,00, uma desvalorização de 19,9%. Já a versão sem blindagem podia ser encontrada, há dois anos, por R$ 87.905,00 e, em 2014, por R$ 74.676,00, retração de 15%. A variação média registrada no período, entre os dois modelos, com e sem o equipamento de proteção, foi significativa: 32%.
Ainda segundo dados da pesquisa, um dos que apresentou menor retração foi o Hyundai Vera Cruz, 3.8 MPFi, automático, 2008. O automóvel obteve desvalorização de 17,4%, passando de R$ 92.877,00 para R$ 76.750,00. Sem blindagem, apresentou baixa de 17,2%, de R$ 78.585,00, em 2012, para R$ 65.081,00, atualmente. A queda foi de 1% se comparados os dois modelos com e sem proteção.

(Redação- Agência IN)