Balança comercial fecha março com superávit de US$ 1,482 bilhões

A balança comercial brasileira teve um saldo positivo de US$ 1,482 bilhão em março. De acordo com os dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia, apesar do superávit, o desempenho é o pior para o mês desde 2015, quando o saldo foi de US$ 455,5 milhões.

Produtos à base de Canabidiol tem importação agilizada

Nos próximos dias, a Anvisa publicará uma nova Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) acrescentando no Anexo I da RDC 17/2015 mais produtos à base de Canabidiol em associação com outros canabinóides. A importação destes produtos pode ser realizada por pacientes com prescrição médica que indique esta opção de tratamento, mediante avaliação e aprovação prévia da Anvisa, caso a caso.

  • Publicado em Saúde

Prorrogada alíquota zero para a importação de milho

A Câmara de Comércio Exterior (Camex) prorrogou a alíquota zero para a importação de milho até 31 de dezembro deste ano. A medida foi publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira (11). O limite de importação é de 1 milhão de toneladas.

Camex prorroga alíquota zero para importação de feijão

A Câmara de Comércio Exterior (Camex) prorrogou nessa quarta-feira (28) a redução de 10% para zero por cento da alíquota de importação do feijão por mais três meses. A medida vale para todos os países, exceto os do Mercosul, onde ela já não é cobrada.

Importação de produtos de cama, mesa e banho tem queda de 50%

Os últimos números da indústria têxtil paulista foram divulgados, hoje (13) pelo Sinditêxtil-SP (Sindicato das Indústrias de Fiação e Tecelagem do Estado de São Paulo). O levantamento apresenta retração de 36,8% na importação de têxteis e confeccionados, sendo que em roupas de cama, mesa e banho essa queda foi de 52% nos primeiros cinco meses de 2016, em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Governo autoriza importação de feijão para reduzir o preço

O Palácio do Planalto anunciou hoje (22) que o governo vai liberar a importação de feijão de alguns países, com o objetivo de reduzir o preço do produto nos supermercados. A medida valerá para o feijão com origem na Argentina, no Paraguai e na Bolívia. de acordo com o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Blairo Maggi, está em estudo a possibilidade de importar o produto também do México e da China, segundo informações divulgadas pelo Portal do Planalto.

Assinar este feed RSS