O que esperar do mercado imobiliário em 2020

Apesar de ainda lidar com os desafios da burocracia, tanto na esfera cartorial como do ponto de vista das regras de financiamento, o tradicional mercado imobiliário brasileiro ganhou em muito com a incorporação de novas tecnologias nos últimos anos. Da mesma forma que a revolução digital trouxe eficiência e agilizou processos nos diversos ramos da economia, também trouxe muitas ferramentas que possibilitaram um processo de busca e de venda muito mais eficientes para esse segmento. E 2020 não será diferente, pois algumas tendências ainda ganharão mais força para ajudar um número maior de pessoas a realizarem o sonho da casa própria:

Taxa de variação do IGMI-R/ABECIP volta a acelerar em novembro

A taxa de variação do IGMI-R/ABECIP voltou a acelerar em novembro registrando crescimento de 0,55%, após o aumento de 0,26% verificado no mês anterior. Na perspectiva do aumento acumulado em 12 meses esse resultado garantiu uma elevação de 3,11%, mantendo a trajetória de aceleração dos últimos meses. A tabela e gráfico abaixo mostram a comparação entre os acumulados de janeiro a novembro de 2018 e 2019.

Banco do Brasil lança financiamento imobiliário indexado pelo IPCA

O Banco do Brasil aderiu à linha de crédito imobiliário indexada pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo, principal indicador inflacionário do País). A nova modalidade do banco tem como foco o público com renda a partir de R$ 10 mil, financiamento para imóveis residenciais, taxa de 3,45% ao ano (mais IPCA), prazo máximo de financiamento de 15 anos e financiamento de até 70% do valor do imóvel. Clientes com propostas de financiamento imobiliário com índice da TR, mas que ainda não assinaram o contrato, podem solicitar alteração para o IPCA.

Mercado de imóveis novos manteve bom desempenho em outubro

A Pesquisa do Mercado Imobiliário, realizada pelo departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP (Sindicato da Habitação), apurou em outubro a comercialização de 3.467 unidades residenciais novas. O resultado foi 14,5% inferior ao total comercializado em setembro (4.055 unidades), mas superou em 23,2% as vendas de outubro de 2018 (2.815 unidades).

Preços médios de venda e locação de imóveis comerciais recuam 0,3% em outubro

O preço médio de venda de imóveis comerciais encerrou outubro de 2019 com queda de 0,29% em relação a setembro, resultado similar ao registrado para o preço médio de locação de salas e conjuntos comerciais (-0,28%). Comparativamente, o IPCA/IBGE registrou variação positiva de 0,10% no último mês, enquanto o IGP-M/FGV apresentou alta de 0,68% no mesmo período. 

Cai o número de ações por inadimplência em condomínios

De acordo com levantamento realizado pelo Departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP (Sindicato da Habitação) no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, o número de ações de condomínio caiu 2% na cidade de São Paulo. Foram ajuizados 958 processos em outubro, contra os 978 processos de setembro. Comparado ao mesmo mês do ano anterior, quando foram registradas 890 ações, houve aumento de 7,6%.

Preço médio do aluguel mantém alta e supera IGP-M na capital paulista

A Pesquisa de Valores de Locação Residencial do Secovi-SP (Sindicato da Habitação) registrou o aumento de 5,16% no acumulado de 12 meses (novembro de 2018 a outubro de 2019). Considerando o mesmo período analisado, o preço dos aluguéis ficou acima do IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado), da Fundação Getúlio Vargas, que registrou variação de 3,15%. Ainda segundo o Secovi-SP, em outubro, o aluguel apresentou uma variação de 0,10%. “Tal fato comprova a evolução dos preços praticados de locação, com viés positivo para o próximo período”, afirma Rolando Mifano, vice-presidente de Gestão Patrimonial e Locação do Secovi-SP.

Assinar este feed RSS