Eneva registra lucro recorde de R$ 1 bilhão em 2020

  •  
Eneva registra lucro recorde de R$ 1 bilhão em 2020 Foto: Divulgação Eneva registra lucro recorde de R$ 1 bilhão em 2020

A Eneva, maior empresa privada de geração de energia e gás natural integrada do país, apresentou lucro líquido recorde de R$ 1 bilhão em 2020 e R$ 687 milhões, no 4º trimestre de 2020, conforme resultado divulgado nesta quarta-feira, dia 10. As cifras são, respectivamente, 67,7% e 87,9% superiores às registradas em 2019 e no mesmo trimestre daquele ano. Ambos os resultados são recordes históricos da companhia.

Mesmo diante do desafio da crise do Covid-19, a empresa reportou o maior EBITDA da sua história, de R$ 1,6 bilhão no ano. Entre outubro e dezembro, o número também foi expressivo: R$ 615 milhões - um aumento de 16,3% em relação ao mesmo período de 2019.

“Esse foi mais um trimestre onde a companhia apresentou um desempenho operacional e financeiro muito robusto. Nossa performance mostrou que, mesmo em um ano de crise, onde encontramos uma série de adversidades, a Eneva demonstrou a resiliência de seu modelo de negócios e seguiu firme e convicta de que estamos caminhando para ser uma das maiores empresas de energia do país”, destacou Pedro Zinner, CEO da Eneva.

O segundo semestre de 2020 foi marcado pela retomada do crescimento do consumo de energia elétrica no país. O quarto trimestre, por sua vez, registrou o maior crescimento de consumo comparado com o mesmo período de 2019. Neste período, a Eneva gerou aproximadamente 4 mil GWh de energia. A receita líquida da companhia no trimestre foi de R$ 1.2 bilhão.

POSIÇÃO DE CAIXA
O CFO da Eneva, Marcelo Habibe, ressaltou as medidas tomadas para fortalecer a liquidez por meio de captações e renegociação com condições de financiamento mais favoráveis à companhia no período. Ao final de dezembro de 2020, o saldo de caixa consolidado da Companhia foi de R$ 1.896,3 milhões, um incremento de R$ 108,0 milhões em relação à posição registrada no final de setembro de 2020, sem contemplar o saldo em depósitos vinculados aos contratos de financiamento da Companhia, de R$ 76,4 milhões.

INVESTIMENTO CRESCENTE
O total de investimentos no trimestre foi de R$ 630 milhões e no ano de R$ 2.3 bilhões. Houve avanços na construção do projeto integrado Azulão-Jaguatirica (AM e RR) e da UTE Parnaíba V (MA), que receberam 88% do total de investimentos da companhia no trimestre e seguem aderentes ao cronograma revisado. A expectativa é que o início da operação comercial de Azulão-Jaguatirica seja no quarto trimestre de 2021 e de Parnaíba V no primeiro trimestre de 2022.

O CEO da companhia, Pedro Zinner, destacou ainda a abertura de novas frentes exploratórias, através da aquisição do campo de Juruá, na bacia do Solimões, e de sete blocos exploratórios no 2º ciclo de Oferta Permanente da ANP, realizado em dezembro de 2020. “Seguimos crescendo e confiantes na nossa estratégia onde acreditamos que o acesso à molécula de gás é o grande diferencial da Eneva e ele abre uma quantidade grande de opcionalidades e diferentes formas de monetização”.

CAMPANHAS EXPLORATÓRIAS
No ano passado, a companhia realizou campanhas exploratórias bem sucedidas na Bacia do Parnaíba e Bacia do Amazonas. Com isso, incorporou mais 5,5 bilhões de metros cúbicos de reserva 2P e fez a declaração de comercialidade do campo Gavião Belo, com 6,8 bilhões de metros cúbicos de Pmean.

Pedro Zinner, CEO da Eneva, ressalta o fato de a empresa investir cifras elevadas, apesar da crise. “A nossa companhia segue atenta a possíveis oportunidades de aquisições, sempre com as premissas de gerar sinergia às nossas operações, valor para os acionistas e para o país, contribuindo com projetos estruturantes de geração de energia e gás, promovendo emprego e renda”.

ESG – AMBIENTAL, SOCIAL E GOVERNANÇA
Também em 2020, a Eneva publicou seu primeiro Relatório de Sustentabilidade, onde elencou 11 temas com maior impacto e influência para o negócio da companhia e seus stakeholders. A partir da divulgação de seu Relatório de Sustentabilidade em 2020, a Companhia passou a atualizar trimestralmente os seus indicadores de sustentabilidade mensurados em cada período.

“Passamos por momentos de grande restruturação nos últimos anos e nosso compromisso de longo prazo, com as melhores práticas de governança e sustentabilidade, constitui a base da nossa forma de fazer negócio. Compartilhamos o interesse crescente de reguladores e investidores em questões ambientais, sociais e de governança. Para endereçar de forma adequada esses temas é preciso ter um propósito e um compromisso de gerir ativos com uma visão de longo prazo, características sempre presentes em nossa companhia”, afirma Zinner.

O avanço da estratégia reafirma o foco da Eneva em fornecer soluções para substituir fontes de energia de alta emissão, como geração de energia a partir de diesel e óleo, por gás natural, ajudando a reduzir a pegada de carbono. “Queremos seguir liderando o desenvolvimento de projetos que proporcionem energia segura, estável e acessível à sociedade, além de apoiar a transição e o crescimento da energia renovável”, completa Zinner.

(Redação - Investimentos e Notícias)