Lucro Líquido da Cielo totalizou R$298 mi no 4T20

  •  
Lucro Líquido da Cielo totalizou R$298 mi no 4T20 (Foto: Pexels) Lucro Líquido da Cielo totalizou R$298 mi no 4T20

O Lucro Líquido da Cielo totalizou R$ 298,2 milhões no quarto trimestre de 2020, um aumento de 34,7% sobre o mesmo trimestre do ano anterior e de 197,0% quando comparado ao 3T20.

Na comparação com o trimestre anterior, o resultado foi impulsionado por melhora em todas as unidades de negócio: Cielo Brasil (adquirência), Cateno e Outras Controladas. Destaque para a recuperação dos volumes na Cielo e na Cateno, e para o controle dos gastos, com custos e despesas operacionais abaixo do observado no 3T20.

Cielo Brasil

O volume financeiro capturado foi de R$ 190,6 bilhões, um acréscimo de 15,1% frente ao 3T20, impulsionado pelo segmento de pequenas empresas e pela retomada das atividades econômicas, Black Friday e Natal. Na comparação com o 4T19, a expansão foi de 0,3%, limitada pelos efeitos econômicos da crise gerada pela COVID-19, e pelo foco da Companhia em segmentos mais rentáveis.

A receita líquida totalizou R$1.310,8 milhões no 4T20, apresentando um crescimento de 8,0% sobre o trimestre anterior, explicado pelo maior volume capturado e pelo aumento das receitas na modalidade de pagamento em 2 dias. Em relação ao 4T19 as receitas apresentaram redução de 1,5%, refletindo a estabilidade do volume e o cenário de forte competição, que vem pressionando preços e margens no segmento de varejo.

Novo recorde na penetração de produtos de prazo nos segmentos de Varejo e Empreendedores, com 32,7% no 4T20. Os gastos totais (custos e despesas) foram de R$1.077,3 milhões, uma redução de R$ 167,5 milhões ou 13,5% em relação ao 4T19 e aumento de R$26,4 milhões ou 2,5% em relação ao 3T20. Destaque para os gastos normalizados, que registraram queda de 18,1% sobre o mesmo trimestre do ano anterior, refletindo os esforços que vêm sendo realizados pela Cielo para melhorar a eficiência operacional.

O Lucro Líquido da Cielo Brasil totalizou R$193,2milhões no 4T20, um aumento de 81,7% sobre o mesmo trimestre do ano anterior e de 64,4%quando comparado ao 3T20. O resultado foi impulsionado pela recuperação de volumes e pelo comportamento favorável dos gastos.

(Redação – Investimentos e Notícias)