Taurus registra lucro líquido de R$ 102,2 milhões no 3º trimestre de 2020

  •  
Taurus registra lucro líquido de R$ 102,2 milhões no 3º trimestre de 2020 Foto: Divulgação Taurus registra lucro líquido de R$ 102,2 milhões no 3º trimestre de 2020

A Taurus consolidou, em definitivo, um novo patamar de desempenho operacional. O sucesso da reestruturação realizada a partir de 2018 é fato, confirmado por resultados operacionais consistentes e sólidos, com crescimento em termos de valores absolutos e de margens de rentabilidade.

A empresa atingiu a estrutura adequada em termos de processos operacionais no momento ideal, de modo que o forte aumento da demanda por armas verificado em 2020 encontrou a Taurus plenamente preparada para atender maiores volumes e novos consumidores.

Nos últimos trimestres, a Taurus tem registrado recordes sucessivos nos indicadores operacionais. No 3º trimestre de 2020, foram oito indicadores sem precedentes para a empresa em um trimestre: maior volume de produção, de vendas, maior receita líquida, lucro bruto, margem bruta, Ebitda, margem Ebitda e lucro líquido.

A Taurus produziu mais de 1 milhão de armas entre janeiro e setembro, volume que representa 92% da produção total de 2019. No 3T20, foram em média 6,9 mil armas produzidas por dia, com as duas fábricas em forte atividade: no Brasil, operando à plena capacidade; e nos EUA, fábrica que está em atividade há cerca de um ano e, portanto, ainda em ramp-up, já superando os volumes produzidos no 3T19 e nos 9M19 pela antiga unidade industrial.

"Temos produtos de qualidade e íntegros, com preços competitivos e que incorporam aquilo que os consumidores anseiam. Temos também entrega, com um processo de produção e de logística de vendas eficiente. Com isso, a cada trimestre, nossas vendas vêm superando o volume recorde registrado no trimestre anterior, chegando a 487 mil unidades no 3º trimestre de 2020", explica Salesio Nuhs, CEO Global da Taurus.

O mercado está aquecido no Brasil, onde as vendas dos nove meses de 2020 foram 132,7% acima do mesmo período de 2019, e nos EUA, maior mercado de armas do mundo, onde a Taurus vendeu mais de 1 milhão de unidades nos 9M20. Os indicadores apontam que a tendência é de manutenção de um mercado demandante.

De acordo com um relatório da empresa de pesquisa de mercado Southwick Associates, mais de 24 milhões de americanos pensam que provavelmente comprarão sua primeira arma de fogo nos próximos cinco anos. A Taurus está com backorders fortes, de cerca de 1.026 mil armas para o mercado nos EUA e 128 mil armas para o mercado no Brasil, maior que toda a venda da empresa no ano de 2019 nos Estados Unidos, o que garante que nos próximos trimestres serão mantidos os níveis elevados de faturamento. A companhia também está confiante de que as novidades que estão sendo preparadas em seu portfólio continuarão surpreendendo os consumidores.

Nos 9 meses de 2020 (de janeiro a setembro) a Taurus teve receita líquida de R$ 1.212,9 bilhão, lucro bruto de R$ 511,1 milhões e Ebitda de R$ 305,5 milhões, todos com desempenhos que superam os resultados do ano inteiro de 2019, respectivamente em 50,1%, 121,3% e 138,6%. A margem bruta foi de 46,5% no 3T20 e de 42,1% no acumulado de janeiro a setembro. A margem Ebitda atingiu 31% no trimestre e 25,2% nos 9M20. E o lucro líquido R$ 102,2 milhões no 3T20, o que compensa quase totalmente o resultado negativo acumulado no ano.

"Com esses resultados expressivos alcançados, temos a tranquilidade da certeza de que a etapa de alinhamento das operações está concluída e que seus resultados são permanentes. Mas não vamos nos acomodar com isso. Agora, estamos pensando e preparando o futuro e as novas conquistas da Taurus. Vamos continuar crescendo com rentabilidade nas operações, inovação e qualidade nos produtos, sempre buscando oportunidades que continuem dando sustentação a esse crescimento, seja de forma orgânica, seja por meio de aquisições que venham a agregar valor à companhia e, portanto, a seus acionistas", diz Nuhs.

A Taurus firmou duas joint ventures importantes que ampliarão os mercados de atuação da companhia e, em ambos os casos, sem envolver desembolso de capital. A fábrica na Índia, da joint venture criada com o Jindal Group, está em fase de conclusão, devendo iniciar suas operações no primeiro semestre de 2021. Considerado hoje o segundo maior mercado de armas do mundo, o país é de extrema importância para os planos de expansão internacional da Taurus. O potencial no setor de defesa é imenso: com população de mais de 1,3 bilhão de pessoas, o efetivo de segurança pública, entre polícias e forças armadas, é de cerca de 3,7 milhões, além de cerca de 7 milhões de seguranças privados.

A nova fábrica dá andamento ao plano de ação governamental de fortalecer a parceria estratégica entre Brasil e Índia, em especial na área de defesa e segurança, no âmbito dos acordos de cooperação bilateral assinados em janeiro, e vem também reforçar a posição de destaque da Taurus no mercado mundial de armas, especialmente na região da Ásia.

No Brasil, a Taurus assinou o acordo definitivo para a criação da joint venture com a metalúrgica Joalmi para a fabricação e comercialização de carregadores e outros componentes estampados de armas leves. Os produtos atenderão a demanda interna da Taurus, que hoje é de cerca de 5 milhões de carregadores/ano, com maior eficiência, agilidade e menores custos. Permitirá também acessar um novo e promissor segmento, o mercado mundial de reposição de carregadores, atualmente concentrado em poucos fornecedores estrangeiros. A produção já deverá ter início ainda este ano, nas instalações da Joalmi em São Paulo, devendo ser transferida em 2021 para o complexo industrial da Taurus em São Leopoldo (RS).

A Taurus segue ainda dedicada em ampliar o seu potencial. A estratégia envolve continuar agregando valor aos produtos e, com isso, também à companhia. O sólido desempenho operacional, com crescente geração de caixa, tem permitido a Taurus seguir cumprindo com suas obrigações financeiras, e, ainda, preservando um caixa confortável.

Os pilares básicos que apoiam sua estratégia — rentabilidade sustentável, qualidade dos produtos e melhora dos indicadores operacionais e financeiros — são como um "mantra" na Taurus. São perseguidos continuamente esses três pontos chave, alcançados a partir do investimento no desenvolvimento das pessoas, de novos produtos e tecnologias, e de processos robustos de produção, qualidade e logística. Esses processos garantem a estabilidade da produção, a integridade dos produtos, a alta produtividade e os baixos custos, entendidos pelos clientes como entregas rápidas, produtos de qualidade e preços competitivos.

O sucesso da estratégia adotada, que levou a Taurus ao novo patamar de desempenho, não seria possível sem o comprometimento e a dedicação de seus colaboradores. Mesmo com todas as limitações impostas pela pandemia, incluindo restrições de movimentação, maior distanciamento entre as pessoas e outros cuidados, a produção da Taurus foi recorde. A Taurus se esforçou para garantir o máximo de proteção para sua equipe, adotando as mais rigorosas medidas de prevenção e higiene em suas instalações e oferecendo aos colaboradores as orientações e o suporte necessários para que pudessem trabalhar em segurança.

(Redação - Investimentos e Notícias)