Vendas no varejo crescem 6,9% em janeiro, segundo ICVA

  •  
Vendas no varejo crescem 6,9% em janeiro, segundo ICVA Foto: Divulgação Vendas no varejo crescem 6,9% em janeiro, segundo ICVA

As vendas no varejo brasileiro cresceram 3,1% em janeiro, descontada a inflação, em comparação com o mesmo mês do ano passado, de acordo com o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA) divulgado nesta segunda-feira (17). Em termos nominais, que espelham a receita de vendas observadas pelo varejista, o ICVA apresentou alta de 6,9%.

Efeitos de calendário beneficiaram o resultado de janeiro deste ano. Houve uma sexta-feira - dia de forte comércio - a mais e uma terça-feira - data em que a movimentação do comércio é menor – a menos em relação a janeiro do ano passado.

Descontados estes efeitos, o ICVA de janeiro apresentou leve aceleração do crescimento das vendas em relação a dezembro. “Os últimos meses de 2019 foram marcados por oscilações: houve aceleração em novembro provocada pela Black Friday e uma desaceleração no Natal. Com isso, o ritmo de crescimento em janeiro ficou bem parecido com o de dezembro”, afirma o diretor de Inteligência da Cielo, Gabriel Mariotto. Ainda de acordo com ele, o segmento mais representativo para o resultado de janeiro foi Hipermercados e Supermercados.

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), apurado em novembro pelo IBGE, apontou alta de 4,19% no acumulado dos últimos 12 meses, com variação de 0,21% no mês, menor patamar verificado para o mês desde 1994. Os grupos de Alimentação e Bebidas, com destaque para a queda do preço da carne, foram os principais responsáveis pela desaceleração dos preços.

Ao ponderar o IPCA pelos setores e pesos do ICVA, a inflação no varejo ampliado foi de 3,6% ante 3,5% em dezembro.

Descontada a inflação e com o ajuste de calendário, o bloco de Bens Não Duráveis, registrou aceleração. Além de Hipermercados e Supermercados, o segmento Cosméticos e Higiene Pessoal contribuiu para o resultado positivo.

O bloco de Bens Duráveis e Semiduráveis e Serviços se manteve estável. O segmento que mais acelerou foi o de Vestuário e o que apresentou maior desaceleração foi Móveis, Eletro e Departamento. Já no bloco de Serviços, o principal responsável pela desaceleração foi o segmento de Turismo e Transporte.

As regiões Sudeste, Nordeste, Norte e Centro-Oeste apresentaram aceleração na passagem mensal enquanto Sul registrou desaceleração nas vendas de acordo com o ICVA deflacionado com ajuste de calendário. Na região Norte, a alta foi de 6,6%, seguida pelas regiões Nordeste (4,2%), Centro-Oeste (3,1%) e Sudeste (2,0%). Já na região Sul a queda foi de 1,6%.

Pelo ICVA nominal – que não considera o desconto da inflação –, o destaque foi a região Norte, com alta de 12,1%. Em seguida aparecem: Centro-Oeste (7,9%), Nordeste (7,8%), Sudeste e Sul (ambas com alta de 6,2%).

(Redação - Investimentos e Notícias)